Vida digna

É o que todas as pessoas buscam, mas exige vivenciar os princípios da lei moral. Como isso não está acontecendo, as pessoas estão se agredindo e causando mortes violentas em muitos lugares do Brasil. Os nossos olhos se voltam para as penitenciárias, para a precariedade no sistema penitencial e para as realidades violentas nas ruas, como é o caso dos fatos acontecidos no Espírito Santo.

As bases da situação, de quase “convulsão social” no Brasil, estão assentadas no formato seguido pela administração pública, de nunca resolver a questão penitenciária. Há uma conivência, ou pelo menos, um ostracismo diante do crime organizado, que forma hoje um governo paralelo, afrontando as instituições e aos cidadãos em geral. Corrobora com isso o alto índice de desemprego.

Sentimos o reflexo da má administração do bem público, seja do Estado brasileiro, das empresas e de ações pessoais com os constantes desvios. Estamos vendo os “efeitos cascata”. Como falta partilha, sofrem os mais fracos e, por isso, agem com a força das armas, e matam. Estão matando por muito pouca coisa, deixando em todos nós uma sensação de total vulnerabilidade.

Nestas alturas, somente a fé em Deus poderá nos tirar desse fosso onde o país caiu. O desaquecimento da economia tem suas raízes no acúmulo e desonestidade de alguns cidadãos sem caráter, que vivem explorando e depredando o que é de todos. Além da confiança em Deus, a justiça deveria ser mais arrojada, tirando de sua prática o caminho da impunidade e cobrar ressarcimento.

A hostilidade no mundo, e no Brasil, não está acontecendo por acaso. O fato de Vitória, ES, nos faz sentir ”um país sem lei”, descontrolado e sem força para agir. Como as verdadeiras e reais providências são sempre adiadas, porque falta “vontade política” da parte dos políticos, o caos se torna evidente. A população vai para a prisão em suas casas e o mundo do crime chega e domina as ruas.

Vida degradada e insegura não significa vida digna, porque a liberdade fica ignorada. A estratégia de Jesus era diferente, porque a solução dos problemas sempre passava pelo diálogo, pela acolhida e superação do espírito de vingança. O nosso encontro com Deus nos faz irradiar seu amor nas dificuldades da vida, porque todos os ensinamentos divinos são fundamentados na verdade e na vida.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba.

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *