Comissão arquidiocesana pela reforma política quer sociedade atuante

A Comissão da Arquidiocese de Uberaba, criada par tratar da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas, vai abrir espaço para participação de outros segmentos da sociedade regional.

O assunto foi tratado durante reunião nesta semana, na Cúria Metropolitana, que envolveu leigos, os padres Fontes, Geraldo Maia e José Edilson Silva e o diácono Rubens Antonângelo, coordenador da comissão.

A meta do grupo, disse padre Geraldo Maia, reitor do Seminário São José, é conjuntamente com a iniciativa nacional, que tem a CNBB a frente, colher mais de 1,5 milhão de assinaturas como forma de forçar a apresentação e aprovação pelo Congresso do Projeto Lei 6316 de 2013 que trata da reforma política no Brasil. Os quatro pontos principais, relata o sacerdote, são: afastamento do Poder Econômico das eleições; processo eletivo em dois turnos (partidos e candidatos); valorização da alternância de gêneros na lista de candidatos e favorecimento da democracia direta (plebiscitos, referendos e participação popular, dentre outros).

Como meio de avançar nas propostas foram agendadas duas novas reuniões. No dia 22 de maio, às 16 h, na Cúria Metropolitana, os membros da Comissão vão articular a sua abertura para outros segmentos da sociedade uberabense e regional. E no dia 30, também de maio, às 20 horas, no Centro Pastoral, a reunião pretende aglutinar todas as forças vivas interessadas em participar desta Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas no Brasil.

Rubério Santos

Assessor de Imprensa

Uberaba, 09 de maio de 2014

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *