Monsenhor Saul Amaral

Mons. Saul Amaral nasceu na cidade goiana de Ipameri em 04 de abril de 1931 – dia de Santo Isidoro -, uma ilustre cidade situada entre dois rios e de cujo estado nasceu nossa diocese e que também se encontra sob os cuidados de padroeira de Nossa Senhora da Abadia. Lá nasce mas cria-se na cidade de Coromandel donde recebe a mineiridade que o acompanharia até o final de seus dias. Seus estudos são iniciados em Uberaba, tanto no Colégio Marista como no Seminário São José donde é por fim encaminhado ao Seminário Coração Eucarístico de Jesus, na capital mineira. No dia 08 de dezembro de 1940 – com seus vinte e sete anos de idade – é ordenado sacerdote pelo bispo de Uberaba D. Alexandre G. Amaral em missa solene na Catedral.

Torna-se coadjutor do já conhecido D. Almir M. Ferreira até sua nomeação para Vigário de Coromandel, cidade de sua infância, onde também permaneceu por apenas um ano até seu retorno a Uberaba para assumir o governo da pérola diocesana na Praça Rui Barbosa. Seu paroquiato em nossa Catedral Metropolitana se estendeu primeiramente entre os anos de 1941 e 1946 e posteriormente entre os anos de 1948 e 1949, somando-se cerca de sete anos no total.

O tempo em que foi pároco – ou cura da sé – marcou-se principalmente pelos anos centrais da Segunda Grande Guerra, conflito que contou com a participação de vários pracinhas uberabenses na Força Expedicionária Brasileira que foi à Europa lutar. Da mesma forma, o ano de 1945 marcaria o fim do extenso período de quinze anos em que Getúlio Vargas esteve à frente da política nacional. A redemocratização ocorrida neste ano abrangeria o direito de voto às mulheres e permitiria por mais uma vez a criação de partidos políticos. Após seguidos anos com prefeitos indicados arbitrariamente pelo governo-interventor mineiro, o povo uberabense elegeu em 1947, pela primeira vez em sufrágio universal, um prefeito – Dr. Boulanger Pucci – e vereadores. Seguindo o exemplo de outras dioceses, o bispo de Uberaba instituiu nesse momento a Liga Eleitoral Católica (LEC) que formava uma lista dos candidatos aprovados pela autoridade diocesana provenientes de diversos partidos que estivessem em consonância com a moral cristã e poderiam ser votados pelo eleitorado católico.

Após sua saída da Catedral, permanece brevemente em Uberlândia até que a autoridade diocesana determinasse de forma definitiva sua atividade sacerdotal na egrégia cidade de Sacramento, donde seria vigário e pároco e à qual dedicou-se por 31 anos, constituindo-se em parte fundamental da história recente do município que eterniza-lhe o nome numa de suas praças. Retorna à morada celeste no dia 21 de maio de 1980.

Vitor Lacerda – Historiador

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *