Vigário Silva

No final dos anos de 1700, Minas Gerais vivia o fim do sonhado “El Dourado”. No povoado de Desemboque, atualmente distrito de Sacramento, não foi diferente. Núcleo de mineração na região da Farinha Podre, atual Triângulo Mineiro, a população do povoado, assim como nos outros núcleos mineradores, conforme o ouro acabava, se esvaía rapidamente. Os antigos moradores, em suas andanças a procura de novas atividades rentáveis, deram início ao surgimento de várias cidades na região, entre elas, Uberaba.

Vigário de Desemboque em 1928, Cônego Hermógenes, por determinação de Dom Pedro I, foi encarregado de abrir em concurso a “Freguezia de Santo Antônio e Sam Sebastião de Uberava”, da Repartição do Novo Sul, da Diocese de Goiás. A freguesia foi colocada em concurso e afixados os editais. Padre Antônio José da Silva, o Vigário Silva, foi o único concorrente para o cargo de vigário encomendado. Algum tempo depois foi proposto e aprovado para religioso ser o primeiro vigário colado da Freguezia do Uberava, isto em 1820. Com a criação da freguesia de Uberaba, em 1820, toda a porção mais rica da jurisdição da freguesia de Desemboque iria para as mãos de Antônio José da Silva, o Vigário Silva.

Vinda para a região e atividades políticas

Vigário Silva nasceu em Ouro Preto e se ordenou padre em Mariana em 1818. Veio para Uberaba, onde permaneceu até 1855, no cargo de vigário, sendo o primeiro clérigo do município. Por volta de 1835, enviou para a Assembleia Provincial um relatório detalhado de Desemboque, demonstrando a impossibilidade da Vila de Desemboque, enfraquecida econômica e populacionalmente, continuar como sede político-administrativa da região. Esse relatório foi decisivo para que a Freguesia se tornasse a Vila de Uberaba em 1836 e fosse instalada a Câmara Municipal em 1837.

D. Antônio José da Silva, tomou parte na escolha da Junta Governativa provisional da Província de Minas Gerais. Após aclamar Juntas provisionais e eleger deputados constituintes, as capitanias tornavam-se, definitivamente, províncias.

Vigário Silva é um padre desconhecido de muitos, mas é ilustre e foi o religioso mais importante na história da fundação de Uberaba. É um político essencial para os historiadores de Uberaba, cidades da região, de Minas, e do Brasil Central, pois foi importante personalidade e político no XIX. Representou interesses regionais no legislativo provincial, por várias legislaturas, assim como foi deputado imperial, mais de uma vez. Vigário Silva participou ativamente da política em Uberaba. Foi membro da primeira Câmara Municipal de Uberaba, sendo vereador por dois mandatos.

Vigário Silva, Agente Executivo

Vigário Silva foi Agente Executivo, cargo hoje como o de prefeito, no período de 1841 a 1845 e 1851 a 1854, sendo o segundo prefeito de Uberaba, e deputado da Assembleia Provincial. Também foi o primeiro vigário de Uberaba, e o primeiro historiador da cidade, porém seus registros, escritos de próprio punho, não existem mais. Era irmão do coronel Carlos José da Silva, conhecido político do partido Conservador.

Por decreto de Dom João VI e, como vigário encomendado até 1825 e vigário colado, até 1855, administrou a Igreja construída por requerimento do sargento-mor Antônio Eustáquio de Oliveira e Silva.

Escreveu entre 1825 e 1826, “História Topográfica da Freguesia do Uberaba, Vulgo Farinha Padre”, importante documento para a memória da cidade, editado pela Academia de Letras do Triângulo Mineiro, em 1970.

Como agente executivo abriu um novo caminho em direção ao estado de São Paulo, através do rio Grande, partindo do porto de Ponte Alta. Consequentemente o tempo gasto para o transporte de mercadorias e a distância entre Uberaba e Franca foram reduzidos e as relações comerciais com a Corte (Rio de Janeiro), o Porto de Santos, Goiás e Mato Grosso foram estimuladas.

Em sua gestão realizou ações importantes para a igreja. Vigário Silva inaugurou a Igreja do Rosário, em 1842, a chamada Igreja dos Homens de Cor e a Igreja de Santa Rita.

O padre Zeferino, coadjutor do Vigário Silva, presidiu a demarcação do patrimônio municipal – área da Freguesia –, correspondente a uma légua quadrada de terreno devoluto, de acordo com a Resolução Provincial Mineira nº. 206, de 2 de abril de 1841. Também na sua gestão, a Banda União Uberabense foi fundada (1852), permanecendo em atividade até 1908 e criou a primeira escola pública feminina de ensino primário, em 1853.

Como homenagem, uma das primeiras ruas de Uberaba, anteriormente conhecida pelo nome de rua Direita ou rua Grande, leva seu nome. A rua Vigário Silva “começa no canto inferior esquerdo da praça Rui Barbosa e finaliza na rua Floriano Peixoto.

Depois de Uberaba, Vigário Silva residiu em Sacramento e no Rio de Janeiro, onde exerceu as funções de Cônego Honorário da Capela Imperial. Faleceu no Rio, provavelmente em 1858.

Por Maria das Graças Salvador

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *