A experiência do seminário propedêutico

No último ano (2021), tive a graça de iniciar minha formação e discernimento vocacional rumo ao ministério ordenado. A primeira etapa que concluí recentemente é chamada de propedêutico. Essa palavra tem origem no termo grego propaideutikós, que significa “relativo à instrução, instrutivo”, ou seja, um primeiro momento de instrução e preparação para as outras etapas formativas, como o discipulado e a configuração, que são as partes do seminário maior. O propedêutico tem a missão principal de amadurecer as vocações e instruir os vocacionados como bons cristãos, formando-os dentro das dimensões humano-afetiva, comunitária, espiritual, intelectual e da pastoral missionária, entre outras possíveis.

Durante esse ano, a turma do propedêutico foi composta por dois membros, Wellington Mateus da Silva e eu, acompanhados pelo reitor Padre Geraldo dos Reis Maia. Dentro desse período formativo, tive a graça de amadurecer minha vocação e intensificar meu discernimento, apaixonando-me cada vez mais pelo propósito de Jesus Cristo, através das experiências formativas que nos eram propostas. Aproximamo-nos cada vez mais de Cristo pelas orações que éramos convidados a vivenciar e junto à Eucaristia celebrada todos os dias, que é força e sustento das vocações.

No âmbito intelectual,/ pudemos desfrutar de vários momentos formativos na área eclesial, com aulas ministradas por alguns padres de nossa Arquidiocese. Essas aulas nos capacitaram para sermos bons cristãos que dão um autêntico exemplo, tendo plena consciência daquilo que vivemos, cremos e professamos. Também em âmbito geral, tivemos aulas no Colégio Marista Diocesano, preparando-nos assim para a formação em nível acadêmico.

Na dimensão pastoral, pudemos ajudar na comunidade paroquial de São José, no bairro Tutunas, onde exercemos o serviço litúrgico e o acompanhamento das pastorais junto ao administrador paroquial da comunidade e nosso reitor, algo que veio ao encontro daquilo que se pede: que seja formado no candidato um coração de pastor. Essa experiência acrescentou muito a nossa vida e vocação, fazendo com que tivéssemos contato com realidades e experiências diferentes das que já estávamos acostumados.

Diante disso, concluo que essa etapa formativa de grande valia é um nutrir-se para a etapa da filosofia (discipulado) e teologia (configuração), preparando-nos bem para todas as adversidades que podemos enfrentar no decorrer de nossa vida formativa, que nunca se encerra. Durante todo esse ano, vivemos de forma intensa, a partir da formação que nos foi proporcionada, sendo assim possível conhecer melhor a realidade de nossa vocação e criar raízes profundas em nossa amada Arquidiocese. Despeço-me, pedindo que rezem para que nós, seminaristas, sejamos fiéis ao propósito de Cristo. Que Jesus, manso e humilde de coração, faça com que nosso coração seja semelhante ao Dele.

Seminarista Gabriel Reis Monte

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por