Arquidiocese de Uberaba: 60 anos (1962-2022)

No próximo dia 14 de abril, nossa Arquidiocese comemora 60 anos de criação. Criada em 1962 pelo papa João XXIII, pela bula Qui tanquam Petrus, é composta atualmente por quatro dioceses: Uberaba, Patos de Minas, Uberlândia e Ituiutaba. No ano da criação, a composição da Arquidiocese de Uberaba era outra. Era composta pelas Dioceses de Uberaba, Paracatu, Patos de Minas e Uberlândia.

Antes de contar um pouco sobre a história de nossa Arquidiocese, chamo a atenção para a origem do termo Arquidiocese. Na história do Império Romano, o imperador Diocleciano (284 – 305 d.C.) dividiu seu império em províncias administrativas, chamadas de Dioceses. Em cada uma, havia um vigário governante em nome do Imperador. Com a queda do Império Romano, após a invasão dos bárbaros, a Igreja adotou a divisão e o que era chamado de Diocese passou a ser administrada por um bispo.

No Concílio Vaticano II, este conceito de Diocese passou a ser caracterizado como “porção do povo de Deus para o pastoreio de um Bispo”. Contudo, com o crescimento da Igreja e também o crescimento territorial e o consequente aumento populacional, as dioceses foram se dividindo e formando novas Dioceses. E entre as dioceses, a mais antiga é chamada de Arquidiocese, devido ao termo arqui, em grego, significar primeiro.

Dentro desta perspectiva hierárquica da Igreja Católica, a divisão de Arquidiocese e Diocese recebe também o nome de Província Eclesiástica, que é a junção das dioceses sufragâneas e da Arquidiocese. Em nosso caso, nossa província recebe o nome de Província Eclesiástica de Uberaba.

A primeira diocese criada entre as quatro atuais componentes de nossa Província, como sabemos, é a nossa, Uberaba, elevada a Diocese em 1907 pelo Papa Pio X, cujo primeiro bispo foi Dom Eduardo Duarte Silva (1907 – 1923), e recebeu como padroeiro o Sagrado Coração de Jesus. Inicialmente, todo o território do Triângulo Mineiro e também o do Alto Paranaíba foram administrados pelo bispo de Uberaba.

No ano de 1956, a segunda diocese foi criada pelo Papa Pio XII. Foi a diocese de Patos de Minas, cujo primeiro bispo foi Dom José André Coimbra (1956 – 1968), e recebeu como padroeiro, Santo Antônio.

A Diocese de Uberlândia foi criada em 1961 pelo Papa João XXIII, e o primeiro bispo nomeado para administrar a diocese foi Dom Almir Marques Ferreira (1961 – 1977), que foi pároco de nossa Catedral Metropolitana e recebeu como padroeira diocesana, Santa Teresinha do Menino Jesus.

A Diocese de Paracatu, que inicialmente pertenceu a nossa Província, foi primeiramente elevada à categoria de Prelazia. “A prelazia territorial ou a abadia territorial são uma determinada porção do povo de Deus, territorialmente delimitada, cujo cuidado, por circunstâncias especiais, é confiado a um Prelado ou Abade, que a governa como seu próprio pastor, à semelhança do Bispo diocesano.” (Cân. 370). Foi administrada pelos padres da Ordem Carmelita da Antiga Observância e, em 1962, na mesma bula da criação da Arquidiocese de Uberaba, a prelazia foi elevada a Diocese, sendo o primeiro bispo Raimundo Luí, O. Carm, e a padroeira diocesana, Nossa Senhora do Carmo. Entretanto, a Diocese de Paracatu em 1966 tornou-se sufragânea da Arquidiocese de Brasília, a pedido do Arcebispo de Brasília.

A elevação a Arquidiocese, bem como a criação das Dioceses de Patos de Minas e Uberlândia evidentemente partiram do esforço inicial do primeiro arcebispo, Dom Alexandre Gonçalves do Amaral que administrou nossa (arqui)diocese por quase 39 anos (1939 – 1978). Sabemos que o processo de criação de uma Diocese é composto por longas pesquisas, reflexões, não apenas no âmbito territorial, mas também envolvendo a cultura, a religiosidade e, consequentemente, a organização eclesiástica do local, além da própria administração econômica.

Em 1970, Dom José Pedro de Araújo Costa foi nomeado bispo coadjutor da Arquidiocese de Uberaba e permaneceu à frente da Arquidiocese com Dom Alexandre até 1978, ano em que ambos renunciaram.

Após a renúncia de Dom Alexandre devido à longevidade, acompanhado por Dom José Pedro, quem assumiu a Arquidiocese de Uberaba foi Dom Benedicto de Ulhôa Vieira, nomeado pelo Papa João Paulo II. E durante seu governo, a Diocese de Ituiutaba foi criada, sendo a última, portanto, entre as quatro dioceses de nossa Província.

A Diocese de Ituiutaba foi criada em 1982 pelo papa João Paulo II, e o primeiro bispo nomeado foi Dom Aloísio Roque Oppermann, que viria a ser em 1996 nomeado o terceiro Arcebispo de Uberaba. A Diocese de Ituiutaba recebeu como padroeiro São José, titular da Catedral.

Assim, nesses 60 anos de Arquidiocese tivemos como Arcebispos: Dom Alexandre Gonçalves do Amaral (1939 – 1978), Dom Benedicto de Ulhôa Vieira (1978 – 1996), Dom Aloísio Roque Oppermann (1996 – 2012) e atualmente Dom Paulo Mendes Peixoto, nomeado em 2012 pelo Papa Bento XVI.

Amanda Oliveira
Historiadora

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por