Não ter medo

No artigo desta semana, o arcebispo destaca que com a vinda de Jesus Cristo no Natal, toda natureza se transforma e se torna instrumento messiânico de salvação.

Ouça o artigo de Dom Paulo:

 

Normalmente as leituras da liturgia, próprias do tempo do Advento, reportam situações um tanto espantosas, mas mostram a possibilidade que existe de superação de todas as fraquezas e medos, apresentando uma mensagem de esperança e alegria para toda a humanidade. O propósito é o anúncio da vinda do Filho de Deus para construir o Reino de superação de todas as limitações humanas.

Celebrar mais um Natal de Jesus Cristo significa despertar nas pessoas a preocupação com uma vida nova, num clima de fraternidade e comprometimento com as realidades do cotidiano. Sem isto não há verdadeiro Natal, porque as práticas não condizem com os ensinamentos de Deus. Por isto, o medo e a insegurança tomam conta das pessoas, que ficam sem estímulo para viver.

Esse caminho proposto para a humanidade percorrer tem que estar apoiado e fundamentado na confiança depositada em Deus, de onde emana o que é necessário para a pessoa ser alegre e feliz. É um caminho de fé, de libertação, mas também de real segurança, ânimo e superação de todo tipo de opressão. Quem confia em Deus e se deixa cativar por Ele consegue ter vida livre e sem medo.

Com o acontecimento da Encarnação do Verbo de Deus, isto é, a vinda de Jesus Cristo no Natal, toda natureza se transforma e se torna instrumento messiânico de salvação. Há uma elevação do ser humano e de toda a humanidade, mesmo no meio das realidades de injustiças que ameaçam a vida. Ao ter fidelidade a Deus, muitas enfermidades, principalmente espirituais, podem ser sanadas.

Os critérios do Reino de Deus conduzem à liberdade, não ao medo e nem podem ser moldados conforme interesses egoístas. É o Reino da fraternidade e do compromisso com a vida das pessoas mais carentes e sofridas. Essa foi a meta e a conduta de Jesus, a quem somos convidados a seguir dentro da reflexão do Advento. O Menino nasce com a profecia de ser o Deus conosco, para salvar o mundo.

A alegria que a pessoa tem, por estar em sintonia com Deus, deve superar todas as dificuldades e todo tipo de medo que ameaçam a intimidade do ser humano. A vinda natalina de Jesus, que é manifestação da bondade e da ternura de Deus, deu oportunidade para uma ação libertadora. Jesus veio trazer uma Boa Notícia, convocando as pessoas para uma autêntica conduta de vida.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba.

 

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *