Dom Giovane Pereira de Melo foi reeleito para presidir a Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB no quadriênio 2023-2027

Dom Giovane Pereira de Melo foi reeleito no primeiro escrutínio para presidir a Comissão Episcopal para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) no quadriênio 2023-2027. Dom Giovani foi nomeado e tomou posse como primeiro bispo da diocese de Araguaína (TO), criada em 31 de janeiro de 2023 e instalada, canonicamente, no último 15 de abril, durante a missa solene na catedral provisória de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Sobre a pergunta, feita pelo presidente da CNBB, dom Walmor Azevedo de Oliveira, se aceita conduzir a comissão, dom Giovani deu a seguinte resposta: “Querido dom Walmor, queridos irmãos bispos, para continuar servindo o povo de Deus, de modo particular os cristãos leigos e leigas, agradeço o carinho dos irmãos e acolho esse serviço”.

Biografia e trajetória eclesial

Natural Salinas (MG), dom Giovane nasceu em 16 de janeiro de 1959. Estudou Filosofia na Faculdade Católica de Mato Grosso e Teologia no Instituto Teológico, em Campo Grande (MS). Dom Giovane é especialista em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Mato Grosso e mestre em Teologia Pastoral pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo (SP).

Ordenado presbítero em 24 de março de 1990, na diocese de Rondonópolis (MT), foi vigário, coordenador diocesano de Pastoral e represente dos Presbíteros do regional Oeste 2 da CNBB junto à Comissão Nacional de Presbíteros (1993-1997). Também atuou como reitor do Seminário Maior Jesus Bom Pastor da diocese de Rondonópolis, em Várzea Grande (MT); presidiu a OSIB regional e coordenou o Serviço de Animação Vocacional (SAV) do regional Oeste 2 da CNBB (1999). Foi professor do Studium Eclesiástico Dom Aquino Correa (Sedac).

Em 2006, deixou a reitoria do seminário maior em Várzea Grande e assumiu como pároco a paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Rondonópolis, desempenhando também a coordenação diocesana de pastoral e a assessoria às diversas pastorais, movimentos e serviços.

No dia 4 de março de 2009, foi nomeado pelo papa Bento XVI, bispo da diocese de Tocantinópolis (TO). Foi ordenado para o episcopado pela imposição das mãos de dom Juventino Kestering, no dia 8 de maio daquele ano, com o lema: “Cuidarei do rebanho de Deus a mim confiado” (Ez 34,11).

Dom Giovane foi bispo referencial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), no Regional Norte 3 da CNBB, e membro da Comissão Episcopal para o Laicato, entre 2015 e 2019, sendo o responsável pelo acompanhamento do Setor CEBs em âmbito nacional.

Fortalecimento do Laicato na Igreja no Brasil

Em 7 de maio de 2019, durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, dom Giovane foi eleito presidente da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB.  Na Comissão, contribuiu na elaboração dos Parâmetros Básicos para a Formação do Laicato, publicado na Coleção Sal e Luz, nº 4, da Edições CNBB.

O bispo também é responsável pela criação e consolidação do Grupo de Trabalho (GT) das Expressões Carismáticas Católicas e Laicais no Brasil, aprovado na reunião do Conselho Permanente da  CNBB, em 17 de junho de 2021.

Dom Giovani foi nomeado e tomou posse como primeiro bispo da diocese de Araguaína (TO), criada em 31 de janeiro de 2023 e instalada, canonicamente, no último 15 de abril, durante a missa solene na catedral provisória de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Araguaína.

Compartilhe: