Enfrentar desafio

A vida, por si, é um desafio, que exige esforço constante de paciência, determinação, confiança e muita fé. A dinâmica do mundo moderno supõe coragem para a pessoa não perder o rumo certo do caminho. Na verdade, são muitas estradas e propostas, umas boas e outras indecorosas. Isto acontece no mundo das guerras, das organizações impiedosas do crime e das violências do dia a dia.

A bíblia cita os desafios enfrentados pelo povo da Aliança, quando exilado na Babilônia. Foi caso de desespero, mas também de confiança na providência do Senhor da história. Quando libertado, retorna para a Terra Prometida, mas teve que revitalizar os ânimos e se organizar. Mesmo nessa nova condição, os desafios continuaram, porque tudo estava por ser restaurado e construído.

Há sempre uma voz, como a de João Batista, ressoando no coração das pessoas, no meio das incertezas, convidando para uma vida melhor. Mas tudo isto tem que ser construído com coragem, enfrentando os desafios e todos os percalços que aparecem. Se é também questão de fé, o fundamental é descobrir que Deus está no meio do povo. Ele é quem conduz a história no rumo certo.

Não é fácil reconstruir uma cidade destruída pela ferocidade das bombas. Imaginamos o sofrimento dos ucranianos e palestinos ao ver suas construções transformadas em amontoados de resíduos. Quanto desafio a enfrentar por aqueles povos, na grande maioria, sem condição para reerguer suas casas. Pior ainda são os corações feridos e mergulhados na fragilidade diante da barbárie.

O nascimento do Menino Jesus em Belém teve a envoltura de uma evidente incógnita e um grande desafio para o seu tempo. Os desafios continuam presentes na história de hoje e até com requinte de tecnologia e inteligência artificial. A pessoa humana, aos poucos, vai perdendo a própria identidade e dignidade, sendo incapacitada para enfrentar o desafio da cultura do descarte social.

Aparecem hoje diante das pessoas trevas e luzes, mas Deus está escondido ali no meio e nunca deixa a escuridão abafar a luz. Isto significa dar valor incondicional para a vida e não para a morte. Muitas das práticas sociais desabonam a vida. Podemos citar as discriminações pelo racismo, violência, terrorismo etc., incapacitando a sociedade para uma convivência amorosa e saudável.

Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

Compartilhe:

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por