Entendendo a Festa de Cristo Rei

   Acolhendo os dados históricos, foi o Papa Pio XI, na Encíclica Quas Primas, em 01.12.1925, que introduziu na Sagrada Liturgia da Igreja uma festa especial em honra de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei.

    Este é um fato histórico de nossa Igreja, mas precisamos entender o que isto significa.

  Em 1925, um período de pós-guerra de grandes proporções, a humanidade estava em desalento, descrente, afastada de Deus, sem fé alguma.

   A Igreja, percebendo esta realidade, decidiu intervir e aproveitou a comemoração do 16º ano do Concílio Vaticano I para ressaltar a importância do credo “cujo reino não terá fim”, promulgando com isto a dignidade Real de Cristo.

  Já no Antigo Testamento, Ele é exaltado no livro dos Números, nos Salmos e por diferentes profetas como Jeremias, Isaías, Daniel, Zacarias.

   No Novo Testamento, aparece na Anunciação em Lc 1,32-33 e Mt 25,31-46. Em sua resposta a Pilatos, em Mt 27,11 e Mc 15,2. É aclamado Rei na entrada messiânica em Jerusalém, montado em um jumento: Mt 11,1-11. É aclamado Rei na paixão quando ultrajado, coroado de espinhos, em Mt 27,29 e na inscrição da cruz “O Rei dos judeus”, em Lc 23,38.

   Nesta festa, o Papa Pio XI confere o triplo poder a Cristo Rei:

   Redentor: pois é Ele em que se confia.

   Legislador: pois é aquele a quem se obedece.

   Julgador: é Ele que premia e castiga.

   Era uma festa celebrada no último domingo de outubro. Após o Concílio Vaticano II, passou a ser celebrada no último domingo do tempo comum, encerrando o ano litúrgico.

   De todos os dados históricos importantes para conhecermos mais nossa Igreja e, portanto, vivenciarmos melhor nossa fé, é fundamental reconhecer que Jesus escolheu, mesmo não tendo pecado algum, assumir todos nossos pecados e morrer para nos libertar de todo o mal.

    Sendo Deus e Senhor, nos ofereceu a salvação e seu Reino de amor, justiça e paz.

    A nós cabe a justa e livre atitude de reconhecer Cristo como Rei de nossas vidas, pois não há um amor capaz de amar assim.  Somente Cristo Rei.

Maria Isabel (Bel) Oliveira

Paroquiana em Santa Luzia

Compartilhe: