EXERCER O DIREITO DE VOTO É TER CONSCIÊNCIA DE SUA ESCOLHA

  Em I Timóteo 2, 1-4, São Paulo nos diz: “Acima de tudo, recomendo que façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver uma vida calma, tranquila, com toda a honestidade, isto é bom e agradável a Deus”.

  Desde a Constituição de 1988 que o sufrágio universal foi instituído para a escolha daqueles que vão governar o país. Sufrágio Universal significa que todo cidadão, dentro das normas legais, tem direito ao voto. Que o cristão, usando seu direito de votar, possa verdadeiramente exercer esta cidadania na questão política. Isto foi uma vitória no sentido da ampliação da democracia, pois todos os cidadãos com mais de 16 anos, homens e mulheres, alfabetizados e analfabetos têm o direito de escolher seu representante.

  A participação do cristão neste momento decisivo para nosso país é fundamental. Exercer o direito de voto é ter consciência de sua responsabilidade de escolha sem pressão ou compra de voto. É possível escolher em um leque de opções um candidato que irá nos representar no legislativo ou no executivo por um tempo determinado. Esta escolha deve ser um ato de consciência política, através da análise das propostas dos candidatos, acompanhando seus pronunciamentos, como também seu histórico. De nosso voto depende o futuro de nosso país. Como verdadeiros cristãos, devemos ter o compromisso com o futuro de nosso país. Que ele continue sendo abençoado por Deus!

 

Maria Aparecida Ferreira, pedagoga e Assistente Social

Paróquia de São Benedito, RCC e Comunidade Nova Jerusalém.

Compartilhe:

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por