Regional Leste 2 conclui assembleia com diretrizes aprovadas para o âmbito local

Foto: CNBB Leste 2/Xavana Horta

Foi concluída na manhã desta quinta-feira, 14 de novembro, a Assembleia Regional de Pastoral do regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na ocasião, bispos, administradores diocesanos, coordenadores diocesanos de pastoral, representantes dos presbíteros e leigos que coordenam pastorais, organismos e movimentos no Espírito Santo e em Minas Gerais aprovaram as indicações pastorais que irão orientar as ações da Igreja na região nos próximos anos. As orientações tem como base as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2019-2023 (DGAE), aprovadas na 57ª Assembleia Geral da CNBB.

Segundo o bispo de Divinópolis (MG) e presidente do regional Leste 2 da CNBB, dom José Carlos de Souza Campos, a assembleia, com sua proposta de aprovação de indicações locais, “é onde aparece a nossa identidade pastoral”. “O regional Leste 2 busca estar sempre em sintonia com a Igreja no Brasil e as Diretrizes aprovadas demonstram isso”, ressaltou nesta quinta-feira.

A partir dos quatro pilares propostos pelas DGAE, foram oferecidas indicações para o trabalho pastoral:

 

Pilar da Palavra

  1. Promover a animação bíblica da ação pastoral, através da leitura orante da Sagrada Escritura nos grupos eclesiais e na Celebração da Palavra;
  2. Oferecer formação centralizada na Palavra de Deus, que proporcione um caminho de iniciação à vida cristã, num processo contínuo, partindo do anúncio (querigma), culminando com o testemunho e o compromisso missionário.

Pilar do Pão

  1. Fortalecer e incentivar a Pastoral Litúrgica por meio de uma formação mistagógica, valorizando as expressões genuínas da Piedade Popular e a realidade do Povo de Deus, respondendo aos desafios da cultura urbana;
  2. Elaborar subsídios, em vista da formação litúrgica por meio de cartilhas e mídias para TV, redes sociais e canais de internet, contemplando a relação entre liturgia e evangelização, enfatizando o canto litúrgico e a arte sacra.

Pilar da Caridade

  1. Motivar os cristãos leigos e leigas, através da articulação dos Conselhos, ao engajamento social na luta pelos direitos humanos, na defesa da ecologia integral, na promoção da cultura da paz, e na proposição e acompanhamento das políticas públicas;
  2. Favorecer o encontro pessoal com Jesus Cristo levando as comunidades eclesiais missionárias, enquanto Igreja Samaritana, ao compromisso com a cultura da vida, da caridade e da paz, através de ações sócio transformadoras.

Pilar da Missão

  1. Investir nos diversos Conselhos Missionários e na missão ad gentes, para dinamizar as Comunidades Eclesiais Missionárias e garantir sua identidade;
  2. Despertar a consciência missionária das comunidades, a fim de que valorizem, como espaços de missão, as periferias geográficas e existenciais, com especial atenção aos hospitais, escolas, presídios/outros lugares de detenção e universidades, priorizando a pessoa e seu acompanhamento espiritual e social.

A Assembleia de Pastoral do regional Leste 2 da CNBB teve início na terça-feira, dia 12, e contou com uma metodologia de aprofundamento e debates dos “pilares” da ação evangelizadora. Os participantes estudaram os pilares nas manhãs da assembleia, dois a cada dia (terça e quarta) com a colaboração de assessores que fizeram exposições. Na parte da tarde, foram formados 12 grupos compostos por pessoas de diferentes províncias eclesiásticas. Cada pilar estudado na parte da manhã foi aprofundado por seis dos 12 grupos. Assim, foi possível discutir cada pilar nos dois dias e oferecer propostas para as diretrizes regionais.

Confira a partilha feita pela leiga da arquidiocese de Vitória (ES) Ana Maria Lemos sobre este momento dos grupos:

Ana Maria Lemos, leiga de Vitória (ES), comentou sobre a experiência nos trabalhos em grupo, durante a Assembleia Regional de Pastoral do Leste 2.

Posted by CNBB Leste 2 on Wednesday, November 13, 2019

Presidente da CNBB
O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, fez uma exposição durante a assembleia sobre os “Horizontes do Sínodo para a Amazônia”, na noite de terça-feira.

Dom Walmor contou aos participantes que “o Sínodo é oportunidade do diálogo, da escuta, da partilha e do ato de nos debruçarmos sobre a realidade da Amazônia em si, o que nos ensina muito para todo canto do mundo e do Brasil”, afirmou. “O que está no horizonte é um convite à conversão, seja pastoral, ecológica, cultural e sinodal”, complementou.

Colaborou Xavana Horta – CNBB Leste 2
Fonte: CNBB

 

 

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *