Dom Benedicto de Ulhoa Vieira

5º Bispo e 2º Arcebispo de Uberaba
Data de Nascimento: 09/10/1920
Data de Ordenação: 08/12/1948
Data Ordenação Episcopal: 25/01/1972
Data de Posse: 15/09/1978
Data de Falecimento: 03/08/2014

Nasceu aos 9 de outubro de 1920 em Mococa, SP, recebendo o nome de Benedicto, com o significado de “abençoado por Deus” entretanto acha mais moderna a grafia Benedito. Em Mococa, iniciou o Curso Fundamental completado no Seminário de Pirapora, SP, estudou Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, São Paulo, SP, ordenando-se padre a 8 de dezembro de 1948 pelo Cardeal D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Costa. Em 1953 doutorou-se em Teologia, defendendo uma tese com belas considerações teológicas a respeito do modo como pelos infinitos méritos da Redenção de Jesus Cristo, a “perfeição” infinita de Cristo se transfere para também a possível nossa perfeição, conforme a Teologia de São João Crisóstomo. Assumiu relevantes cargos em São Paulo: Professor e Capelão da PUC; Reitor do Seminário Central do Ipiranga; Vice Reitor da PUC e Pároco dos Universitários. A restauração administrativa da Arquidiocese de São Paulo, à época, foi orientada por D. Benedito. Era Vigário Geral quando em 1972 foi ordenado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, onde permaneceu até 1978 quando foi nomeado Arcebispo de Uberaba com posse a 15 de setembro de 1978. Foi Vice Presidente da CNBB de 1983 a 1987.

D. Benedito elevou a igreja da Abadia a Santuário de N. S. da Abadia, por ser a principal igreja de devoção popular a N. Senhora, em Uberaba. Em seu tempo, conforme determinação superior, instituiu na Arquidiocese o Curso “Propedêutico” na Paróquia Santa Teresinha, como preparação imediata ao Curso de Filosofia dos seminaristas. Em 1980, na sua primeira visita de entrega de relatórios eclesiásticos “ad limina”, em Roma, foi recebido pelo Papa João Paulo II, ocasião em que o Papa recomendou a assídua visita de Nossa Senhora às famílias, para a preservação da fé católica.

Seu mandato em nossa Arquidiocese se destacou por duas características: firme liderança em necessárias realizações e zelo pastoral.

Deve-se à liderança pastoral de Dom Benedito: a reabertura do Seminário São José na construção do novo prédio no Jardim Induberaba; a construção da residência episcopal atrás do Santuário da Abadia.

A animação das periódicas reuniões do clero; a criação de 11 paróquias na Arquidiocese; a ordenação de 30 padres arquidiocesanos; a criação da Comissão dos Direitos Humanos; realizou a reforma da catedral, elevando o piso do presbitério, trazendo o altar um pouco mais para a frente, colocando luz indireta no alto das colunas e até dotando-a do jazigo destinado aos bispos, inaugurado com a transladação dos ossos de D. Eduardo, primeiro Bispo de Uberaba, do Rio, onde ele morreu, para Uberaba.

Em sinal de tradicional respeito às igrejas, realizou a dedicação da Catedral, da “Adoração”, da matriz de Pedrinópolis e da Igreja Abacial das Monjas Beneditinas.

Cuidou do importante dever episcopal de visitas pastorais às paróquias que, em 18 anos foram 4 vezes visitadas.

Arcebispo Emérito de Uberaba, desde 28 de fevereiro de 1996, D. Benedito pediu a D. Roque que elevasse também a igreja da Medalha Milagrosa a Santuário.

Compartilhe!