Novo pároco e vigário assumem a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Uberaba

Celebração Eucarística e Cerimônia de Posse presidida pelo arcebispo metropolitano de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, no dia 30 de janeiro, acolheu o novo pároco, Frei Antônio Carlos Marchioni, e o novo vigário paroquial, Frei João Lourenço Boga, na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Uberaba.

A Igreja estava repleta de fiéis que vieram de diversas cidades da região acompanhar Frei Carlos e Frei João Lourenço, prestando sua solidariedade fraterna nesse momento de transferência de Diocese e augurando votos de muito sucesso no pastoreio dos novos paroquianos.

Dom Paulo Mendes Peixoto em sua homilia durante a Celebração Eucarística na Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Dom Paulo Mendes Peixoto elencou, em sua homilia, todos os aspectos primordiais referentes à condução do trabalho sacerdotal e pastoral, mediante amorosas palavras de estímulo, fundadas no Santo Evangelho da Liturgia do dia, a Parábola do Semeador (Marcos 4, 1-20).

Frei Antônio Carlos Marchioni dirigiu-se às autoridades, aos clérigos e à assembleia presente, a todos que participaram da Celebração Eucarística e da Cerimônia de Posse, alinhando-se ao carisma franciscano e apresentando-se para o serviço fraterno com confiança em Deus e muita disposição. Estavam presentes, também, o Vigário Geral da Arquidiocese de Uberaba, Padre Saulo Emílio Pinheiro Moraes e o Mestre de Noviços, Frei Helton Barbosa Damiani, OP, entre outros sacerdotes e frades da cidade e região.

A Celebração Eucarística e a Cerimônia de Posse se distinguiram pela simplicidade e humildade que coadunou com a postura dos novos pastores que integram, agora, a família dos religiosos da cidade de Uberaba.

Durante os ritos finais, a comunidade teve oportunidade de manifestar-se, em nome da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima. O paroquiano, Renato Peixoto Júnior, dirigiu calorosas palavras de acolhida ao Pároco empossado, Frei Carlos, e ao novo Vigário Paroquial, Frei João Lourenço. Também a Ordem Franciscana Secular, OFS, por meio de sua Ministra, Mirna Spirandeli, prestou sua homenagem, oferecendo cestas de frutas alusivas à São Francisco de Assis e seu grande amor pela Criação, dádiva do Pai para todos.

Após a Celebração, houve um jantar em que paroquianos de nossa cidade e de outros municípios tiveram oportunidade de convivência e compartilhamento fraterno, no clima de alegria e de paz que reinou entre todos.

Rita De Blasiis
Uberaba, 31 de outubro de 2019

Confira mais fotos enviadas por Rita De Blasiis:

Leitura da Ata da Cerimônia de Posse por Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM, Custódio da Custódia Custódia Autônoma da Ordem dos Frades Menores.

Assinatura da Ata da Cerimônia de Posse. Na foto, Frei Antônio Carlos Marchioni, OFM.

Assinatura da Ata da Cerimônia de Posse. Na foto, Frei João Lourenço Boga, OFM.

Benção Solene por Dom Paulo Mendes Peixoto, à esquerda, e Frei José Ricardo Terêncio, OFM, juntamente com Frei Antônio Carlos Marchioni, OFM, na sequência à direita.

Dom Paulo Mendes Peixoto e Procissão de Saída da Celebração Eucarística e Cerimônia de Posse de Frei Antônio Carlos Marchioni, novo Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, e Frei João Lourenço Boga, novo Vigário Paroquial.

Compartilhe!

Pastoral Familiar movimenta a Província e define agenda 2019

A Pastoral Familiar da Arquidiocese de Uberaba tem realizado nos últimos meses uma série de atividades para formação e evangelização das famílias nas cidades da Arquidiocese e Província (da qual fazem parte a Arquidiocese de Uberaba e as Dioceses de Uberlândia, Patos de Minas e Ituiutaba).

No final do mês de novembro, as Dioceses de Uberlândia e Ituiutaba, e a Arquidiocese de Uberaba realizaram um encontro provincial no município da Região do Pontal. Na pauta da reunião, a agenda das ações em 2019. Entre as atividades definidas está acertado pela Província um grande encontro em Uberaba no dia 3 de fevereiro para formação de todos os agentes que estão na preparação dos noivos por acolhimento.

Entre os temas a serem debatidos para este evento estão a moral e ética, e os direitos canônicos no matrimônio. No início de maio será realizado um encontro para a terceira fase do curso do INAPAF (Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar). O evento contará com a presença da coordenação da Pastoral Familiar do Regional Leste II da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Também ficou definido que a Romaria Arquidiocesana da Família, em 2019, será realizada na primeira semana do mês de julho, o convite é extensivo à Província.

Santa Juliana – No início do mês de dezembro, a Pastoral Familiar arquidiocesana esteve na cidade de Santa Juliana, no Sindicato Rural, para um curso de formação e preparação dos agentes pastorais. Durante o encontro, os participantes ouviram depoimentos sobre como ser uma família cristã nos dias de hoje e sobre a convivência em comunidade. O encontro terminou com o aprofundamento da nova metodologia do curso de noivos e formatação da Pastoral Familiar na cidade. Para o padre Edson José Nogueira, pároco da paróquia de Nossa Senhora das Dores, o encontro foi muito proveitoso, pois aprofunda o trabalho de evangelização familiar que já é realizado na cidade com as novas diretrizes da Igreja.

Com informações da PASCOM – Pastoral da Comunicação

Compartilhe!

Natal em Canções de Paz, os corações agradecem!

No dia 13 de dezembro, na Catedral Metropolitana de Uberaba, o público presente fruiu um belíssimo repertório de canções natalinas e de peças clássicas, em clima de muita paz. O Coral Canta Marista apresentou-se com brilho e segurança, apoiado em uma trajetória de dedicação, de esforço, que se fez notório na qualidade das vozes afinadas e timbradas.

Com belos arranjos vocais para os naipes, o Maestro Thiago Neves esmerou-se na preparação desse Concerto especial, que está se tornando tradição na cidade: Natal em Canções de Paz, uma abençoada iniciativa do Monsenhor Valmir A. Ribeiro, realizada nos últimos três anos na Catedral Metropolitana de Uberaba. Esse ano, contando com a parceria especial do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi.

Thiago Neves, além de ser o regente da apresentação dessa noite, brindou o público presente com a interpretação de um inesquecível clássico de Natal, da década de 40, White Christmas, de autoria de Irving Berlin. Quem ouviu Bing Crosby, naqueles velhos discos de 78 rpm, matou a saudade de uma época de ouro.

A Ave Maria de Caccini, também integrou o repertório do espetáculo, sendo solista a Professora e cantora Lívia Alexandra Carvalho. Uma peça delicada e complexa, verdadeira joia artística que proporcionou aos devotos de Nossa Senhora a alegria de meditar a sua grandiosa e abençoada missão.

O Coral Canta Marista, e os solistas da noite, incluindo-se a Professora Benedita Kátia Araújo Santos, cantora lírica, foram acompanhados pelo pianista e Professor Rafael Camilo. A sintonia entre os cantores e o excelente músico Rafael, assim como a qualidade de sua técnica e interpretação pianística, proporcionaram aos presentes um momento de raro enlevo.

Quem esteve na Catedral na noite de 13 de dezembro teve realmente uma oportunidade especial de fruição cultural refinada e de elevação espiritual de grande significado.  Para a comunidade católica, a preparação do Natal de Jesus demanda essa sensibilização, essa meditação apurada que desperta a profunda gratidão pela presença do Menino Deus entre nós.

Parabéns ao Colégio Marista Diocesano, a toda produção do evento, a todos que se empenharam para proporcionar aos uberabenses esse momento tão especial. Oxalá, cada vez mais, esse trabalho se expanda e forme público que se encante com as lindas canções de paz do Natal do Cristo, enchendo-se de esperança e de ardente desejo de cooperar em sua obra de amor pela humanidade.

Rita De Blasiis

Confira os vídeos feitos por Rita De Blasiis:

 

Confira as fotos de Ana Luísa Andrade, PASCOM Catedral:

     

 

LEIA MAIS

Catedral Metropolitana de Uberaba apresenta “Natal em canções de paz”

Compartilhe!

Vida dos pais de Santa Teresinha é tema de retiro familiar em Uberaba

A Pastoral Familiar da paróquia de Santa Teresinha realizou no último domingo (25) de novembro, no Centro de Cultura e Espiritualidade Santo Tomás de Aquino, em Uberaba, o seu retiro anual com as famílias. O tema do encontro deste ano foi: “A Santidade de São Luiz e Santa Zélia Martin”, pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, e teve como pregador Monsenhor Célio Lima, pároco da paróquia de Santa Teresinha.

Pela manhã, as famílias foram acolhidas pela coordenação da pastoral familiar com um café, seguido de oração. Na sequência, monsenhor Célio abordou três temas da santidade dos pais de santa Teresinha. O primeiro foi a história de fé vivida pelo casal São Luís Martin e Santa Zélia Guérin, onde foram revelado alguns dos sinais de santidade da família Martin, seguido de reflexão e rápida troca de experiências entre as famílias.

São Luís e Santa Zélia Martin

O segundo tema do retiro foi: “A santidade em família”, onde tivemos um aprofundamento da conduta da vida matrimonial, o amor, perseverança, zelo e pequenas mortificações dos pais de Santa Teresinha. Logo após este momento foi realizada a oração do Santo Terço, seguido de almoço.

O terceiro módulo do encontro teve como tema: “A vida leiga de São Luís e Santa Zélia e o caminho que podemos a esta santidade”. Neste contexto, as famílias puderam conhecer o amor e a espiritualidade da família Martin com a Igreja, para com os pobres, o respeito e o convívio com o sacerdote, entre outros temas da santidade. Depois destes três módulos, os participantes tiveram um momento de partilha e reflexão.

O retiro terminou com uma profunda Adoração aos mistérios do Santíssimo Sacramento, seguido da Santa Missa. Para Monsenhor Célio Lima, o tema do encontro foi muito propício para as famílias de Santa Teresinha, pois revela os sinais de santidade que os pais de Santa Teresinha, Luís e Zélia, alcançaram em vida e que hoje é um desafio para as famílias, principalmente neste ano missionário que inicia-se.

Para os coordenadores da Pastoral Familiar em Santa Teresinha, Sebastião Adelino da Costa e Sônia R. da Costa, o retiro foi um momento único, principalmente para aqueles que buscam o sinal de santidade em família. O casal agradeceu a todos que colaboram para o sucesso do encontro.

Pastoral da Comunicação da paróquia de Santa Teresinha

 

Compartilhe!

Arcebispo de Uberaba reúne-se com Novas Comunidades da Arquidiocese

No último domingo (02), na sede da Comunidade Católica Discípulos da Cruz tivemos um momento histórico para as Novas Comunidades da Arquidiocese de Uberaba. Aconteceu a reunião com nosso arcebispo metropolitano, Dom Paulo Mendes Peixoto.

Com a presença de sete Novas Fundações ouvimos atentamente e com o coração as orientações, correções e conselhos de nosso Arcebispo, Dom Paulo.

Sem sobra de dúvidas vivemos um tempo de primavera, um novo tempo, tempo de unidade através do Espírito Santo.

Obrigado Dom Paulo por seu acolhimento e pastoreio por todos nós!

Comunidade Católica Discípulos da Cruz 

 

Compartilhe!

Homenagem das crianças à Nossa Senhora da Medalha Milagrosa

A consciência de si mesma no mundo, o reconhecimento de sua própria origem e o sentido da existência, sua finalidade e seu valor, são aspectos essenciais, que precisam ser trabalhados desde a mais tenra infância. Não necessariamente de forma complexa, mas, de maneira simples, amorosa e natural, em conversas e testemunhos de fé e de amor que os pais podem realizar no recesso do lar e mediante o cumprimento de seus deveres morais e religiosos.

Esse processo preparatório de Iniciação à Vida Cristã tem um componente de grande importância que precisa ser observado, antecedendo o estudo dos cânones do Catecismo e as práticas religiosas conscientes, como alicerce fundado ainda no ambiente doméstico: a transmissão da devoção à Nossa Senhora. É preciso introduzir no contexto da formação religiosa infantil o conhecimento sobre a Mãe de Jesus, sobre sua vida e sua identidade, sobre seu papel de Medianeira de todas as graças, despertando a veneração e a confiança na Virgem Maria.

Apresentação da peça: “Santa Catarina Labouré, Vida e Carisma”, em julho de 2018, no Santuário Nossa Senhora da Medalha Milagrosa com a participação de alunos e pais do Colégio Nossa Senhora das Graças, do músico convidado Lucas Dutra e da Profa. Claudia Lessa no papel de Santa Catarina Labouré.

O engajamento das crianças e a sua presença, de certa forma, conferem ao contexto da Festa em Louvor à Maria Santíssima sob o título de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, um diferencial singular, que sensibiliza, sobremaneira, os próprios adultos que acorrem ao Santuário, agradecidos ou em busca de bênçãos e de graças, imbuídos de uma ânsia de experiência espiritual profunda. Experiência que se configura como um ato religioso de natureza devocional que os faz crescer na fé, na esperança e na caridade.

Santa Catarina Labouré é exemplo de formação religiosa constituída no recesso do lar. Sua mãe, Sra. Madalena Gontard, era fervorosa devota de Nossa Senhora e procurou transmitir essa devoção à sua filha. O profundo amor que a menina Catarina sentiu na infância se ampliou em sua vida, possibilitando, de certa forma, os três momentos em esteve em companhia da Virgem Maria.

Santa Catarina Labouré escutou os conselhos de Nossa Senhora dirigidos à humanidade daquela época e de todos os tempos e os transmitiu a seus superiores. Sobretudo, recebeu de Maria Santíssima a recomendação para a elaboração da Medalha que ficou logo conhecida como Medalha Milagrosa, em virtude das numerosas graças alcançadas por todos que recorriam à Nossa Senhora mediante o uso constante da Medalha.

São Tomás de Aquino diz que devoção é “a vontade pronta para se entregar a tudo que pertence ao serviço de Deus”. (SANTO TOMÁS DE AQUINO. ST II-II, Q 82, A 1).

Encenação da Vida e Carisma de Santa Catarina Labouré.

Tomamos, também, como argumentação favorável à participação das crianças e suas famílias na Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, a afirmação da Ir Marlene Bertoldi, que alerta para o fato de que “a experiência cristã vivida no ambiente familiar é uma marca decisiva para a vida do cristão. O convívio familiar precisa tornar-se um itinerário de educação da fé e uma escola de vida cristã (cf DNC 238). A comunidade que vive em clima fraterno, em família, muito contribui para o itinerário da fé”. (BERTOLDI, 2018, p.59).

Segundo o Papa Francisco, “há um estilo mariano de atividade evangelizadora da Igreja. Porque sempre que olhamos para Maria, voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do afeto”.(PAPA FRANCISCO apud BERTOLDI, 2018, p.59).

É esse o objetivo do trabalho a ser desenvolvido com as crianças, favorecer o encontro de pequenos filhos e filhas com a Mãe amorosa que lhes apontará o Cristo, despertando-lhes a fé, suscitando a esperança e convidando-os ao cumprimento fiel da vontade de Deus mediante o exercício da caridade.

Rita De Blasiis, paroquiana

Confira alguns registros em vídeo:

Leigos e leigas em ação!

Compartilhe!

Encerramento da Novena da Medalha Milagrosa

No encerramento da novena da Medalha Milagrosa em Uberaba, nesta segunda-feira (26), o arcebispo metropolitano, Dom Paulo Mendes Peixoto, revelou a imagem de Maria como sinal de fé. Ao fazer a sua catequese sobre o evangelho de Lucas 1, 26-38, onde temos a passagem do “Sim” de Maria ao projeto do Senhor, Dom Paulo traduz a pureza do sentimento do amor de uma mãe de fé, desde a concepção, morte e a ressurreição do filho de Deus.

“A vida de Maria é um caminhar de luz e uma peregrinação da fé. Como mãe de Cristo, ela buscou constantemente o projeto de Deus, pois é ela que gera a vida. Ao acolher o anúncio de Deus, Maria revela-nos que nada é impossível. O papa João Paulo II em uma das reflexões nos apresenta Maria como uma mãe missionária. Também vemos no Concilio Vaticano II que ela é o verdadeiro caminho que nos leva a Jesus. Portanto, temos a figura de Maria como a Bem-aventurada que acreditou. Outro aspecto importante na liturgia de hoje é a obediência de Nossa Senhora. No evangelho, quando Maria nos diz: faça segundo a sua palavra, temos esta confirmação. Felizes aqueles que acreditam nos mistérios de Deus”, destacou Dom Paulo.

Foto: Rita De Blasiis

Ao falar sobre a cultura do aborto, em contraponto a nossa realidade atual e a luz do evangelho, a arcebispo disse que a concepção da vida está ameaçada. “Maria sempre foi sinal de fé, vida e de luz, e hoje percebemos que o incentivo a esta cultura é contrário ao que a Igreja recomenda, é necessário estarmos atentos. Mas mesmo com estas adversidades, olhemos mais atentamente a vocação de uma mãe de fé. Aos pés da cruz ela esteve presente. Com fé ela saboreou os frutos da ressurreição, no cenáculo com os apóstolos também demonstrou isso. Eu diria que a fé de Maria jamais vacilou. Ela de fato nunca deixou de crer no cumprimento da Palavra de Deus”, finalizou.

Logo após esta reflexão, Dom Paulo realizou a celebração eucarística e encerrou a missa com as orações devocionais à Medalha Milagrosa. Antes de dar as bênçãos finais, o arcebispo comentou sobre o estado de saúde do padre Manuel Messias, pároco do Santuário da Medalha Milagrosa, que nos últimos dias teve que fazer um procedimento cardíaco e recupera-se ao lado de sua família, na cidade de Santa Juliana (MG).

Por fim o arcebispo conclamou a população  para participarem das missas do dia de hoje e da grande festa desta terça-feira, onde serão celebrados momentos de amor, oração, graças e louvor à Mãe de Nosso Salvador.

Confira um pouco da catequese desta segunda-feira (26) onde Dom Paulo nos apresenta Maria como a mãe peregrina da fé:

Pascom Região Central

Homilia de Dom Paulo na manhã do dia 26 de novembro:

Benção final:

 

Colaboração da Pascom Região Central e Rita De Blasiis, paroquiana.

Compartilhe!

Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa prossegue até o dia 27

A Missa do envio aconteceu no último sábado, dia 17 de novembro, Padre Manoel Messias, Reitor do Santuário, presidiu a Celebração. Devotos e voluntários irmanaram-se nas manifestações de fé do início da Festa de Nossa da Medalha Milagrosa, com amor e profunda devoção.

A Festa em sua dimensão religiosa está sempre cada vez mais intensa, com muitos devotos de outras localidades, individualmente, em grupos familiares e caravanas, acorrendo à convocação para louvar a Maria Santíssima sob o título de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

Em seu segundo ano de trabalho no Santuário, Padre Manoel está, de forma muito sensível e solidária, orientando a realização dessa comemoração tão importante para a cidade de Uberaba e para todos que vêm de outras regiões do Estado e Brasil. A preocupação para com o movimento devocional mais consciente e dinâmico se reflete em suas iniciativas. No ano passado realizou os Tríduos de Santa Catarina Labouré e de Santa Beatriz da Silva, colocando em destaque a vida dessas religiosas consagradas, exemplos de santificação por persistente esforço e, sobretudo, pela graça divina, fazendo a todos um convite à reflexão para a busca de maior aprofundamento na fé e de maior compromisso para com o trabalho caritativo.

Realizou-se, durante o ano de 2018, o curso de Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística, ministrado pelo Padre Leandro Santos; o Santuário de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa conta agora com 37 novos Ministros.

Foi possível, também, a partir dessa dinâmica adotada pelo Padre Manoel Messias, mediante os resultados obtidos pelo esforço de toda a comunidade, realizar a reforma do Mosteiro e outras medidas de ampliação e melhoria do Santuário. A Festa desse ano tem, portanto, a chancela da realização da festividade anterior com seus benefícios já concretizados.

A animada Quermesse iniciou-se também no dia 17 e estender-se-á até o dia 27 de novembro. O Salão Dom Benedito Ulhôa Vieira, edificado em 2017 por iniciativa do Padre Manoel Messias, está sendo o novo espaço de convivência fraterna e aprazível da comunidade, no Santuário Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

A Carreata e a benção de veículos aconteceram no dia 17 de novembro, também, com animada participação da comunidade, sob a condução do próprio Reitor do Santuário, Padre Manoel Messias.

No dia 19 de novembro, a primeira Missa do dia foi celebrada pelo Padre Sandro Romero, ativo colaborador do Santuário, responsável pelas Celebrações Eucarísticas de todas as terças-feiras às 7 h.  A intenção da Santa Missa do dia 19 de novembro foi pelas famílias. À noite aconteceu, também, uma homenagem das crianças à Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, realizada no final da Missa presidida pelo Padre Ricardo Alexandre Fidelis, querido Reitor do Santuário durante dez anos de trabalho muito sensível e profícuo.

A programação da Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa neste ano de 2018 está afixada abaixo para consulta. Ressaltamos que a Quermesse tem início às 20 horas todos os dias e que há um plantão permanente no átrio do Santuário para aquisição de cartelas do bingo e de convites para o “Almoço da Padroeira” no dia 25 de novembro das 12 h às 14 h. O Leilão de Animais e outras prendas será no dia 30, às 20 h. Todos esses momentos da Programação Social acontecerão no Salão Dom Benedito Ulhôa Vieira, na rua detrás do Santuário Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

O tema da Festa deste ano de 2018 é: “Maria, a primeira discípula de Cristo, é exemplo de evangelização para a Igreja!” Esse tema nos remete à consciência de que, em seu papel sublime de Mãe do Salvador, Maria Santíssima nos convoca à evangelização amorosa, acolhedora, que recebe a todos como filhos e lhes apresenta seu o Irmão Maior, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Rita De Blasiis

Confira algumas fotos:

Elizabeth Naves, nova Ministra Extraordinária da Sagrada Comunhão Eucarística do Santuário Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. Neste ano de 2018, 37 pessoas participaram do Curso ministrado pelo Padre Leandro Santos e receberam o mandato de ministros extraordinários da distribuição da Eucaristia. Na foto, Sra. Dália Frange, querida benfeitora do Santuário, devota de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

Festeiros do primeiro dia de Quermesse da Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

Fotos de Rita De Blasiis

Confira alguns registros em vídeo:

Novena do dia 19/11 – Padre Sandro Romero

Missa do dia 19/11 – Santuário de N. Sra. da Medalha Milagrosa

Homilia do dia 19/11 – Padre Ricardo Fidelis

Vídeos enviados por Rita De Blasiis

Compartilhe!

Fraternidade Nossa Senhora de Fátima, OFS, de Uberaba participa do 43º Encontro Distrital da Ordem Franciscana Secular

Aconteceu no dia 21 de outubro, na cidade de Uberlândia, o 43º Encontro Distrital do 6º Distrito da Ordem Franciscana Secular em Minas Gerais. Na condução desse momento de encontro, formação, reflexão e partilha, estiveram presentes Frei Antônio Geraldo de Oliveira, OFMCap, o assistente espiritual da Fraternidade Santa Clara de Assis de Uberlândia, Ana Paula Pereira, OFS, vice-ministra do Conselho Regional de Minas Gerais e Nair Soares dos Santos, OFS, coordenadora do 6º Distrito do Regional de Minas Gerais.

Participaram do 43º Encontro Distrital aproximadamente oitenta pessoas, representando a Fraternidade Santo Antônio da cidade de Araguari; Fraternidade São Francisco de Assis e Fraternidade Santa Clara de Assis da cidade de Uberlândia; Fraternidade Nossa Senhora de Fátima da cidade de Uberaba e Fraternidade Santa Clara de Assis da cidade de Ituiutaba.

Participantes da Fraternidade Nossa Senhora de Fátima de Uberaba, OFS, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima

O Encontro foi acolhido pela Fraternidade Santa Clara de Assis de Uberlândia com entusiasmo e carinho que sensibilizou a todos e muito contribuiu para o desenvolvimento do trabalho realizado durante o dia de estudo e de convivência fraterna.

A Programação do Encontro constituiu-se de momentos de oração, de estudo e de reflexão e, também, de trocas de experiências. Iniciou-se o Encontro com a Celebração Eucarística na Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora, Paróquia São Sebastião, no bairro Tibery, às 8h, presidida pelo Frei Geovane Santiago Pinto, OFMCap. Logo após, houve um agradável café da manhã em que os participantes presentes tiveram oportunidade de palestrar, reencontrando e fazendo novos amigos de outras cidades. As lembrancinhas ofertadas por cada Fraternidade tiveram a função de aproximação, de contato entre todos, tornando o momento bastante cordial e alegre.

Estudo e reflexão sobre o tema do Encontro, condução da Vice-ministra Ana Paula Pereira, OFS.

O tema do 43º Encontro Distrital foi: “O eu que se transforma na convivência com o outro”. Para desenvolvimento do estudo e reflexão, foi compartilhado em exposição de slides, o conteúdo do texto elaborado pela Ministra Regional da OFS, Regional Sudeste I, Zélia Castilho. Esse momento de estudo foi conduzido pela Vice-ministra, Ana Paula Pereira, OFS, divido em dois eixos: A Presença do Deus criador em nós e A Fraternidade e sua construção.

Ressaltou-se, no desenvolvimento da argumentação com fundamentação bíblica e pautada no carisma franciscano, a necessidade de um VER-JULGAR-AGIR que possa nos levar a um olhar mais compassivo. O texto distinguido para o estudo realizado durante o Encontro foi finalizado com a seguinte conclusão: “Mais do que nunca, o mundo implora por testemunhos verdadeiros e fortes. Hoje, os valores (impostos!) são: poder, mercado, violência, desigualdade, consumismo, competição. Pessoas e coisas são descartáveis. Nada mais contrário ao Reino de Deus. É necessário mergulharmos em águas mais profundas no anúncio e construção do Reino de Deus e sua justiça e isto implica nadar contra a corrente. Essencial sermos fraternos. Seres de cuidado com toda a criação, em nossa casa comum! Significa vivermos, coerentemente, o seguimento de Jesus, do jeito tão bonito e radical como o fizeram Francisco e Clara. E que o Cântico do Irmão Sol seja o som que embale e embeba nossa vida cotidiana”. (CASTILHO, 2018).

Momento de oração com Frei Toninho

O sabor da angústia diante do nosso momento histórico, nacional e mundial, prevaleceu, de certa maneira, sobre tudo o que houve. E a questão que ficou no ar foi: o que fazer? Em cada Fraternidade de cada cidade participante do Encontro e individualmente, na existência de cada irmão fraterno, o que fazer? Uma pergunta a ser meditada continuamente e respondida com a própria vida – as pessoas que se dispuseram a contribuir, no momento desse questionamento, apontaram para a necessidade de aplicarmos o VER- JULGAR-AGIR aos contextos de nossa convivência com todos e todas, pautando nossas decisões e atitudes no amor, na compaixão, na tolerância. Ressaltaram, também, que a leitura do mundo em profundo conflito de interesses, realizando a evocação da violência como solução e do ódio como referência para o estabelecimento de relações humanas, em todos os níveis, demanda tomada de posição e planejamento para o enfrentamento dessa carência de amor e compaixão da humanidade na atualidade, incluindo-se, nesse contexto, a própria conjuntura geopolítica do tempo presente.

Celebração Eucarística na Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora, Paróquia São Sebastião, no bairro Tibery, às 8 h, presidida pelo Frei Geovane Santiago Pinto, OFMCap.

Ao final do Encontro, houve uma dinâmica cultural em que as Fraternidades presentes proporcionaram a todos e todas, belos e ricos momentos de fruição cultural.  Corais e músicos se sucederam, de todas as Fraternidades, oferecendo suas contribuições, incluindo-se no conjunto de apresentações, duas performances teatrais, “Cristo Crucificado” e “O Eu que se transforma na convivência com o outro”.

Registrou-se com pesar, a ausência do assistente espiritual da Fraternidade Nossa Senhora de Fátima, Frei José Ricardo Terêncio, OFM, impossibilitado de comparecer em virtude dos compromissos com a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Uberaba, e também do Frei João Lourenço Boga, OFM, assistente espiritual da Fraternidade Santa Clara, São Francisco de Assis e Santo Antônio, da Cidade de Araguari, que estava ministrando um curso vocacional na cidade de Franca.  A Ministra Regional da OFS, Zélia Castilho, também se viu impossibilitada de comparecer por questão de trabalho.

Irmã Margarida da Congregação Franciscanas do Senhor, presente no 43º Encontro Distrital

Os agradecimentos feitos pelos participantes, dentre eles a Irmã Margarida da Congregação Franciscanas do Senhor, as preces e a benção final dada por Frei Toninho, Antônio Geraldo de Oliveira, OFMCap, coroaram esse Encontro da Ordem Franciscana Secular, com firmes expressões de fé e de profunda gratidão. O 44º Encontro Distrital acontecerá na cidade de Uberaba, em setembro de 2019, carreando o entusiasmo do excelente Encontro na cidade de Uberlândia, em 2018.

Rita De Blasiis
Uberaba, 26 de outubro de 2018.

 

Compartilhe!

CEBs da Arquidiocese de Uberaba participam do encontro sobre os 50 anos da Conferência de Medellín, em Passos (MG)

Nos dias 22 e 23 de setembro de 2018 aconteceu em Passos (MG) um importante encontro de estudos intitulado: “Com Medellín, Deus passou pela América Latina”. A iniciativa celebrou os 50 anos de existência de um dos maiores eventos eclesiais do continente americano no século XX, a II Conferência Geral do Episcopado Latino Americano, celebrada na cidade colombiana de Medellín, no ano de 1968.

Integrantes do Núcleo das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Arquidiocese de Uberaba foram convidados para o evento e estiveram presentes na cidade de Passos. O assessor, Pe. Manoel Godoy, fez uma rica exposição sobre o tema e mostrou que a Conferência de Medellín ainda se encontra viva e necessária para a realidade da Igreja e da sociedade no Século XXI. Os membros das CEBs de Uberaba, presentes no encontro, avaliaram que o Papa Francisco é “filho de Medellín”. Além disso, notaram a sintonia do tema abordado com o curso “Voltar a Jesus”, desenvolvido no Núcleo de CEBs de Uberaba, sob a coordenação do Pe. José Antônio Fontes.

Medellín busca um carisma profundo através da investigação da essência da mensagem de Jesus sobre o Projeto do Pai, o humano que sente Deus através de seu viver terrestre, na comunidade, no mundo. Na reflexão e na ação, cristãs e cristãos fazem visível o rosto de Deus. Justamente após Medellín teve grande impulsão o método ver-julgar-agir. E não à toa se diz que Medellín toca a essência do Cristo, que viu a realidade de seu povo, julgou se essa realidade estava em consonância com a Palavra do Pai, o Projeto que Deus tem para os seres humanos e, sendo necessário, agiu conforme Sua essência.

Como concluíram os bispos presentes na Conferência de Medellín em 1968, “para conhecer Deus é necessário conhecer o ser humano”, constatação advinda da necessidade de se fazer a Igreja mais próxima da realidade da vida humana, ideia em íntima harmonia ao Concílio Vaticano II, que havia ocorrido poucos anos antes, entre os anos de 1962 e 1965. Por consequência natural, na nossa realidade latino-americana não se faz ver o rosto de Deus sem sentir, assim como Jesus o fez, às necessidades daqueles em situação de maior exclusão e violência em sua dignidade como ser humano. Há que se ter sensibilidade para as causas históricas dessa situação e, como Jesus agiu, impulsionar reflexões e ações proféticas para alterar essa realidade de violação da dignidade humana. Daí a aproximação evangélica que fez marco e teve gestação na conferência de 1968, a conhecida expressão “opção preferencial pelos pobres”.

Medellín também foi importante para o surgimento da “Teologia da Libertação”, que se caracteriza como uma teologia dos “sinais dos tempos”, tendo em vista sua busca por profunda sintonia entre o Projeto de Deus que nos vem em maior grau pela mensagem evangélica e sua prática de vida entre os humanos. Não se trata de horizontalismo desviado de espiritualidade, como já se postulou de maneira preconceituosa. Ao contrário, advém de uma inquietação bíblica de se redescobrir a indissolubilidade entre Deus e a humanidade. A “Teologia da Libertação” coloca o Reino de Deus no centro da história e do viver humano, “assim na Terra, como no Céu”. Quer construir uma Igreja que não vive ensimesmada, mas transcende a seus limites, em saída para o mundo, como diz o Papa Francisco. E não apenas se contentando com o alívio do sofrimento humano, mas sim participando ativamente na transformação de qualquer manifestação opressora, por meio de práticas vinculadas a uma compreensão crítica da realidade, dom atribuído a nós humanos. Por isso a terminologia “libertadora”, no sentido maior de Vida no Projeto que Deus reservou à humanidade, vida em abundância.

Em sua explanação em Passos, o assessor Pe. Manoel Godoy visitou os relevantes dezesseis pontos constantes no documento das conclusões da Conferência de Medellín, uma análise à luz do Evangelho de questões cruciais para a sociedade, a exemplo dos temas da justiça, da paz, da desigualdade social e consequente violência, da família, da educação, bem como referentes à realidade eclesial, em relação a uma liturgia mais integrada na educação religiosa, mais próxima da realidade do povo de Deus, a uma catequese que leve o catequisando a relacionar sua realidade à essência da mensagem de Jesus.

A mesma ênfase foi dada à necessidade de uma formação sacerdotal em profunda consonância com esses valores cristãos. As pastorais, nessa conferência episcopal, que certamente teve influência na expressão do Papa Francisco “Igreja em saída”, também tiveram lugar de destaque. Outra questão de vanguarda tratada na Conferência de Medellín, por influência do Concílio Vaticano II, é a importância da participação de leigas e leigos nas decisões e ações da Igreja e da sociedade, uma forma de aprender democracia participativa, na Igreja e na sociedade. Não causa surpresa o fato das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) terem surgido e experimentado importante avanço após Medellín.

Para Sônia Regina Chagas, coordenadora das CEBs na Arquidiocese de Uberaba, a nossa participação foi excelente, pois havia Irmãs e Irmãos de várias Comunidades, inclusive a presença de jovens que gostaram muito do encontro e voltaram cheios de esperança e com a certeza de que reviver a Conferência de Medellín é o caminho. “Vamos repassar uma síntese do encontro e iniciar um planejamento para que possamos realizar em nossa Arquidiocese um período de formação, pois não podemos deixar passar em branco os 50 anos da Conferência de Medellín e de demonstrarmos a sua riqueza a todos os Irmãos e Irmãs”, afirmou Sônia.

Resgatar e atualizar Medellín é buscar a essência de Jesus na realidade de nossas vidas latino-americanas. Como disseram os bispos que participaram da Conferência, é conhecer Deus, em profundidade e maturidade cristãs. Reflexões em total sintonia com o projeto libertador de Jesus Cristo, com os ensinamentos e práticas de nosso Papa Francisco.

Paz inquieta do Cruscificado-Ressucitado!

Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Arquidiocese de Uberaba.

Colaboração: Pe. Fontes, Leninha, Jurandir, Ricardo e Sônia.

Compartilhe!