Nota da Arquidiocese de Uberaba – Projeto Ágape

Entendendo que a solidariedade não pode ter fronteiras, não pode se pautar pela nacionalidade, pela religião e muito menos pela etnia, a Paróquia de São Geraldo Majela, do Bairro Alfredo Freire, pertencente à Arquidiocese de Uberaba, acolheu, em junho de 2021, algumas famílias vindas da Venezuela, pertencente à etnia warao, portanto, indígenas venezuelanos. Nasceu o PROJETO ÁGAPE. De junho de 2021 até o momento, em torno de 75 indígenas passaram pela Paróquia de São Geraldo. Atualmente são 5 famílias, totalizando 28 pessoas.

A iniciativa teve como base a compaixão. Cada família conseguiu sensibilizar os corações para a caridade. Sem experiência alguma, sem estrutura nenhuma, a Paróquia acolheu, buscou doações, tentou se organizar com uma estrutura que favorecesse o acolhimento, partiu em busca de parcerias.

Destacamos que muitas coisas deram certo: alugamos casas, articulamos parceiros para acompanhamento psicológico, médico, jurídico, odontológico. Motivamos campanhas de alimentos, roupas e outros elementos. Parceiros nos ajudaram com a formação em Língua Portuguesa. CRAS Tutunas, SEDs (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social) e Polícia Federal foram de fundamental importância nos últimos meses, na somatória de forças em torno do Projeto Ágape, para aqueles acolhidos que quiseram participar e abraçar uma nova vida em nosso país.

Porém, algumas coisas não deram certo. Não conseguimos encaminhar todos para trabalho e regularização documental. Alguns, por questões culturais, não se adaptaram à nossa vida, costumes e leis. Há os que se empenharam, por nossa ajuda, e se organizaram em trabalho, escola, documentos. Mas há os que não se articularam, mesmo com o apoio oferecido pela Paróquia e pelo Projeto.

Portanto, neste momento, a Paróquia de São Geraldo Majela não consegue mais levar adiante o Projeto Ágape, pois entendemos que ela não possui a estrutura necessária para tal. As casas serão pedidas de volta, haja vista que a sustentação dessas casas está sob a responsabilidade da Paróquia, e que está sendo inviável pela quantidade de gastos. A Paróquia, hoje, tem clareza que outras regiões do Brasil se estruturaram melhor para acompanhar os indígenas waraos. O povo Warao vem em busca de uma melhoria, não só em relação à questão da qualidade de vida, mas buscam também manter fortalecida a cultura enquanto povo. O movimento indígena brasileiro, principalmente o movimento indígena amazônico, tem um papel fundamental de agregar e acolher aqueles que chegam ao país. Nós não conseguimos alcançar o que outros já alcançaram.

A Paróquia de São Geraldo vai continuar com o PROJETO ÁGAPE, mas repensando sua estrutura, abraçando a missão de apoio, auxílio, mas não como responsável pelos que chegam. Nos próximos dias os indígenas que estão no Alfredo Freire serão encaminhados para outras realidades mais favoráveis ao acolhimento de suas expectativas.

Agradecemos profundamente todos aqueles que se empenharam pelo Projeto, levando em consideração as atitudes de Jesus, de apoiar, acolher e amar o próximo, independente de quem seja.

 

Assessoria de Imprensa da Arquidiocese de Uberaba – Com informações do Projeto Ágape

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por