Arquidiocese de Uberaba inicia trabalho frente à Pastoral do Migrante

“As migrações enriquecem nossas comunidades: Jesus também foi um refugiado” Papa Francisco

Com muita alegria e força de vontade, um grupo de diáconos permanentes, alunos da Escola Diaconal Santo Estêvão e leigos de nossa Arquidiocese reuniram-se no dia 25 de novembro para a criação da Pastoral do Migrante. Naquele mesmo dia já começaram o trabalho de organização para acolher a primeira família venezuelana vinda de Boa Vista (Roraima): a família do sr. José Enrique, com sua esposa Marisol Gomez e os filhos: Julianna Gabriely, Yomar Enrique, Yennifer Carolina e Yosmary Albani.

O trabalho da Pastoral do Migrante é voluntário e de intermediação entre os cidadãos da Arquidiocese de Uberaba – MG e a Pastoral Universitária da Diocese de Roraima, na pessoa do seu assessor, Padre Antônio Ronilson Braga de Sousa SJ, que trabalha em conjunto com a Operação Acolhida das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) na fronteira entre o Brasil e a Venezuela.

O sr. José Enrique relatou que chegou há dois anos e seis meses ao Brasil, fez esse trajeto caminhando, pegando carona nas estradas até chegar em Roraima. Depois que começou a trabalhar (realizando diversos tipos de trabalhos, capina de quintais, servente de pedreiro, ajudante de vários serviços) pode então enviar ajuda financeira para sua família que ainda estava na Venezuela. Após três meses ele conseguiu trazê-los para o Brasil. Permaneceram em Roraima até o dia 25 de novembro de 2019, quando embarcaram para Belo Horizonte, onde foram acolhidos na casa Chico do Vale coordenada pela sra. Nice.

Chegaram em Uberaba na terça-feira, dia 26 de novembro, e foram recebidos na casa paroquial da Paróquia São José – Tutunas, onde estão recebendo toda ajuda e assistência possível de leigos da comunidade e de outras comunidades, juntamente com diáconos permanentes da Arquidiocese.

Conversando com o sr. José Enrique, ele nos disse que nunca pensou em desistir, mesmo diante de tantas dificuldades que enfrentou no início, a falta da família, a adaptação a uma nova realidade cultural, financeira, etc, mas se manteve firme pois tinha o desejo de trazer sua esposa e filhos para tentarem uma vida melhor.

O arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, visitou a família na última terça-feira (03/12) na casa paroquial da Paróquia São José – Tutunas, em Uberaba (MG).

Ele também disse que foram muito bem acolhidos aqui em Uberaba, que se sentiram bem e foram tratados como “gente”. A expectativa que ele tem é de trabalhar para proporcionar uma vida digna para a família e posteriormente trazer o restante que ainda permanece na Venezuela.

É um trabalho que está só no começo, muito precisa ser feito para que outras famílias sejam acolhidas e para isso contamos com a participação de nossas comunidades e da sociedade em geral. Contamos sempre com a graça de Deus e o bom coração das pessoas que se dispõem a ajudar, criando assim uma rede de solidariedade. Como bem lembrou o Papa Francisco: “As migrações enriquecem nossas comunidades: Jesus também foi um refugiado”.

Caso você tenha vontade de fazer parte da Pastoral do Migrante, ou auxiliar de alguma maneira esse trabalho, entre em contato com o Diácono Márcio Henrique pelo telefone:

(34) 9140-1331.

Que Deus abençoe o trabalho da Pastoral do Migrante e todos aqueles que estão envolvidos na sua realização, bem como as famílias acolhidas em nossa Arquidiocese.

Pastoral do Migrante – Arquidiocese de Uberaba

Confira a palavra do diácono Márcio e de Nice, coordenadora da casa Chico do Vale:

 

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *