Assembleia Arquidiocesana vai elaborar e aprovar o 14º PAPIU

A Assembleia será realizada no dia 15 de novembro, às 8h, no Colégio Marista Diocesano

Preparando a Assembleia Arquidiocesana

GUIA NORMATIVO DE ASSEMBLEIAS

Da Natureza:
  1. A Assembleia arquidiocesana é uma instância privilegiada de pastoral, cuja natureza é consultiva/deliberativa. Ela é convocada para se manifestar sobre assuntos de antemão demarcados.
  2. Todos os participantes, legitimamente convocados pela autoridade diocesana, têm igualdade de direitos.
  3. As escolhas da Assembleia, suas determinações e opções se tornam obrigatórias para a arquidiocese, depois de decretadas pela autoridade diocesana.
Da Constituição:
  1. Têm direito a voz e voto todos os que foram convocados, convidados e a secretária de cada Região.
  2. Têm direito a voz os convidados especiais, caso os houver.
Da Direção dos Trabalhos:
  1. A Presidência da Assembleia caberá ao Arcebispo Metropolitano ou a quem lhe fizer as vezes.
  2. A Coordenação da Assembleia caberá ao Coordenador de Pastoral e aos membros da Equipe que preparou a Assembleia.
  3. Os Coordenadores exercerão sua função de forma colegiada.
  4. Competirá aos Coordenadores, em sintonia com a Assembleia, estabelecer horários, escolher dinâmicas, formar grupos, definir de que maneira se realizam as votações, nomear escrutinadores, dar palavra aos oradores previamente inscritos, marcar o tempo das intervenções.
Das Propostas:
  1. Para facilitar os trabalhos da Assembleia e para permanecer dentro do método VER/JULGAR, etapa já realizada, os Coordenadores oferecerão aos Grupos da Assembleia diversas propostas concretas (AGIR). Tais Propostas de Ação serão discutidas nos grupos.
  2. Se algum grupo achar que deve acrescentar ou eliminar alguma Proposta, poderá fazê-lo, lembrando de que elas visam às Paróquias mais do que à Arquidiocese. Para cada Proposta se deve ter presente que métodos de trabalho usar, quais os objetivos, como formar os agentes, de que forma prever os meios.
  3. Após a discussão, os relatores apresentam as contribuições dos grupos. Se houver alguma Proposta nova, realmente importante, o autor terá três minutos para defender seu ponto de vista.
  4. A Equipe de coordenação dirá se aceita ou não a emenda, dando as razões. Caso o autor não concordar com a solução da Equipe, poderá pedir Destaque, que será colocado imediatamente em votação. Se a maioria da Assembleia apoiar, ele será incorporado ao texto.
Das Votações:
  1. Para votar matéria da assembleia, poderá haver votos a favor de uma proposta, contra ou abstenção (em branco).
  2. Para votar Propostas é suficiente alcançar maioria simples. Para aprovar, num voto global, todas as Propostas, é necessário maioria absoluta.
  3. O quorum se estabelece pelo número de votantes.
Disposições Transitórias:
  1. Os casos omissos serão resolvidos pelo Presidente da Assembleia.
  2. A Assembleia confiará a redação final dos textos a uma equipe Especial.
  3. O texto final será promulgado em data a ser definida.

O trabalho da Coordenação de Pastoral

Foi enviado às paróquias um questionário para avaliar o 13° PAPIU. As paróquias nos enviaram as respostas, tendo reunido o CPP. Lembrando que o 13° PAPIU visou à reestruturação paroquial sob três aspectos, o questionário atingiu os seguintes pontos:

  • O protagonismo dos leigos;
  • A paróquia como rede de comunidades;
  • Uma igreja em saída.

A partir desses pilares, conseguimos chegar a uma visão da ação pastoral em nossa Arquidiocese. Este foi o primeiro passo de nossa Assembleia Arquidiocesana. O segundo passo acontecerá no dia 15.11.2019.

A base de reflexão e propostas será o resultado da 57ª Assembleia dos Bispos do Brasil que aconteceu em Aparecida – SP no período de 01 a 10 de maio deste ano. Portanto, teremos como base as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil (2019-2023). O objetivo geral das Diretrizes é EVANGELIZAR no Brasil cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos e discípulas de Jesus Cristo, em comunidades eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da Casa Comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude.

Buscamos uma Comunidade Eclesial Missionária sustentada por quatro pilares:

  • PALAVRA – Iniciação à Vida Cristã e animação bíblica:
  • PÃO           – liturgia e espiritualidade;
  • CARIDADE – serviço à vida plena;
  • MISSÃO      – estado permanente de missão.

Assim, baseados nas Diretrizes que trazem esses quatro pilares, iremos desenvolver os temas que serão determinados pela Assembleia e, portanto, se tornarão obrigatórios em todo o território arquidiocesano.

Precisamos trabalhar com carinho e responsabilidade, conforme a palavra de nosso arcebispo Dom Paulo Mendes Peixoto. Para isto, haverá uma convocação por parte de nosso Arcebispo. Dentre os convocados e convidados estarão:

  • Todo nosso presbitério;
  • Diáconos permanentes;
  • Religiosos e Religiosas;
  • Três (3) leigos por paróquia, escolhidos entre os membros do CPP;
  • Secretário/a de cada Região Pastoral.

Aguardamos a presença de todos os convocados e convidados para que tenhamos uma Assembleia cujas definições possam proporcionar a nossas comunidades um efetivo trabalho pastoral, visando uma maior unidade em nossa Igreja Particular de Uberaba.

Contamos com o auxílio do Sagrado Coração de Jesus, padroeiro de nossa Arquidiocese, bem como com a proteção de Nossa Senhora da Abadia, nossa mãe e mestra.

Mons. Célio Pereira Lima
Coordenador Arquidiocesano de Pastoral

 

LEIA MAIS

Dom Paulo faz Convocação para Assembleia Arquidiocesana de Pastoral

 

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *