Clausura: a entrega que o ser humano é capaz de fazer ao Senhor

A clausura é uma maneira particular de se unir ao fecundo silêncio do Senhor por meio de uma renúncia radical, não apenas daquilo que é material, mas também dos contatos e espaços. Nas palavras das Irmãs Beneditinas de Uberaba, nos mosteiros “aprendemos a procurar verdadeiramente e intensamente a Deus com todas nossas forças, a nada antepor ao amor de Cristo, na pureza e na simplicidade próprias da vida monástica. O claustro não nos isola do mundo, mas nos aproxima dele, pois quando morremos para o mundo e para nós mesmos, o mundo vive e se renova”.

Em Uberaba, são três congregações de clausura. No Mosteiro de Nossa Senhora da Glória, está a Congregação Beneditina do Brasil, que chegou em Uberaba no ano de 1948. As 21 Irmãs Beneditinas de Uberaba têm sua vida consagrada totalmente à oração litúrgica e pessoal. Vivem a oração e o trabalho (ora et labora). Fazem pães, cerâmica, paramentos, trabalhos de caligrafia entre outros ofícios.

O Carmelo do Coração Eucarístico de Jesus (Ordem das Carmelitas Descalças) foi fundado em 1948 em Uberaba. Seu carisma é a oração, de maneira especial a oração pelos sacerdotes e pela salvação das almas. São 22 irmãs de vida contemplativa. Não há atividades externas; suas atividades estão concentradas dentro do Carmelo.

Por fim, a Ordem da Imaculada Conceição das Monjas Concepcionistas Franciscanas. Mosteiro fundado em 1949 em Uberaba, sua Igreja Conventual é o Santuário da Medalha Milagrosa e mantêm os salões para romeiros, reuniões de catequese entre outras atividades. As Monjas Concepcionistas são fiéis a sua vocação de vida religiosa contemplativa e ao carisma de Santa Beatriz, com pureza de coração e oração devota. O carisma da Ordem da Imaculada Conceição é a imitação, a honra e o louvor da Conceição Imaculada de Maria, conforme a inspiração primeira da Santa Madre Fundadora Beatriz da Silva: em contemplação e adoração, em silêncio e solidão, e em clausura. Hoje vivem seis irmãs concepcionistas em Uberaba.

A Igreja celebra neste dia 21 de novembro a memória litúrgica da Apresentação de Maria Santíssima ao Templo. Nesta ocasião, celebra-se também a “Jornada pro Orantibus”, dedicada às comunidades religiosas de clausura.

“Trata-se de uma ocasião mais do que nunca oportuna para agradecer ao Senhor pelo dom de tantas pessoas que, nos mosteiros e nos ermitérios, se dedicam totalmente a Deus na oração, no silêncio e no escondimento. Que não falte a essas comunidades o afeto, a proximidade e o apoio inclusive material de toda a Igreja!”, disse o Papa Francisco.

Oremos por todas elas!

Carmelo do Coração Eucarístico de Jesus, Ordem das Carmelitas Descalças

Ordem da Imaculada Conceição das Monjas Concepcionistas Franciscanas

Mosteiro de Nossa Senhora da Glória, Congregação Beneditina do Brasil

Assessoria de Imprensa da Arquidiocese de Uberaba

 

LEIA MAIS

Quando reza, a monja não vai sozinha, mas leva uma multidão

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *