Pastoral da Educação da Arquidiocese de Uberaba promove cursos no mês de janeiro

A Pastoral da Educação da Arquidiocese de Uberaba promoveu nas duas últimas semanas do mês de janeiro dois cursos para a comunidade. As aulas foram ministradas pela coordenadora da pastoral, Maria Rita Nascimento Pereira. Nos dias 18 e 25, o tema foi Paulo Freire, e nos dias 30 e 31, a temática foi a Diversidade Sexual no Contexto Escolar. Ambos foram realizados no Salão Paroquial da Catedral Metropolitana das 19h às 21h.

“A Pastoral da Educação oferece há quatro anos de quatro a cinco cursos anuais, voltados principalmente para os professores. Sempre com temas relacionados à formação e prática pedagógica. Do ano passado para cá, temos percebido que os professores têm tido certa dificuldade para trabalhar a questão da diversidade, seja no campo cultural, sexual, étnico, linguístico ou religioso. [Essa temática] tem causado alguns tipos de violência dentro da escola, porque as pessoas não sabem lidar com a questão e acabam excluindo crianças, adolescentes, jovens e adultos que não compactuam com a mesma forma de pensar”, pontua a coordenadora.

A Pastoral da Educação escolheu falar sobre a diversidade em razão da Campanha da Fraternidade 2018, cujo tema é: “Fraternidade e superação da violência”. O Evangelho de Mateus inspira o lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23, 8). Para Maria Rita a violência é fruto do não acolhimento, da não aceitação da diversidade.

Dentro dos cursos ministrados ao longo do ano será abordada a questão da diversidade em seus vários aspectos. “Vamos começar com a diversidade sexual e depois falar da diversidade cultural, étnica, religiosa etc. Nesse tema da Diversidade Sexual nós vamos abordar o seguinte: como o professor trabalha os diferentes indivíduos que se adentram no campo escolar? Como o professor vai lidar com a questão do homossexualismo, por exemplo. As pessoas têm muito medo e preconceito em falar sobre diversidade sexual”, afirma Maria Rita.

A importância de abordar esse assunto, segundo a coordenadora, está na formação inicial do professor, que não o prepara para isso. “Muitas vezes ele não sabe tratar a questão e se silencia frente à diversidade, seja ela qual for: cultural, sexual, étnica ou religiosa”. O objetivo de trabalhar essa temática dentro dos cursos é levar o professor a refletir sobre a forma que ele recebe o aluno e como lida com as diferenças. Para Maria Rita, o problema das diferenças não é a diferença em si, mas a forma como lidamos com ela. “Como preparar e trabalhar o outro para que a gente consiga interagir e viver em harmonia, respeitando cada um com a sua forma de viver? Penso que a partir dessa prática, a violência, a exclusão, a repetência e a evasão irão diminuir consideravelmente”. O conteúdo visa mostrar ao professor alternativas para socializar todos, independentemente de quem seja a pessoa que está dentro da escola.

Na aula do último dia 29/01, Maria Rita começou refletindo sobre o que está escrito na Constituição e convidou todos a repensarem suas atitudes. “Pela lei somos todos iguais, mas na prática não somos iguais. Se todos têm direitos, será que eu estou respeitado isso na minha prática pedagógica?”

O arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, esteve presente e falou sobre a importância dos trabalhos promovidos pela Pastoral da Educação, entre eles a promoção dos cursos. O arcebispo afirmou que o individualismo gera violência e desrespeito para com o outro. Com relação aos cursos, Dom Paulo reforçou a importância de sua realização como forma de suscitar nos educadores e nas escolas, novas atitudes para construir a paz. “O desenvolvimento é o novo nome da paz, no dizer do Papa Paulo VI”, finalizou Dom Paulo.

O valor de cada curso é R$ 15,00 e toda verba será revertida para Casa de Acolhimento Medalha Milagrosa, da qual Maria Rita é presidente e coordenadora. Os temas e as datas para os próximos encontros ainda serão definidos, mas segundo Maria Rita o próximo será realizado no mês de fevereiro. Para outras informações, entrar em contato pelo telefone (34) 9 9102-8999.

Maria Rita é coordenadora da Pastoral da Educação, pedagoga, mestre e Doutora em Educação.

Jordana Moreira
Assessoria de Imprensa

Compartilhe!

Nota de falecimento – Pe. Reginaldo Veríssimo

A Arquidiocese de Uberaba expressa pesar pelo falecimento do Revmo. Pe. Reginaldo Veríssimo, ocorrido nesta quarta-feira, 31 de janeiro. O padre era natural de Frutal-MG, pertencia à Congregação Rogacionista e era Missionária na África. Foi diagnosticado com malária e infelizmente não suportou o tratamento, vindo à óbito no dia de hoje. O corpo está sendo velado na Paróquia Nossa Senhora Aparecida em Frutal-MG e a Missa de Exéquias acontecerá amanhã, 01 de Fevereiro, ao meio dia, seguindo o sepultamento às 13h30 no Cemitério Municipal. Manifestamos aos familiares e a toda a Congregação Rogacionista a nossa solidariedade e a fé na certeza da ressurreição!

Compartilhe!

Inicio do semestre letivo no Seminário São José e Nossa Senhora da Abadia

O período da formação inicial é fundamental para manter toda a estrutura da Igreja Particular em seu funcionamento. Neste tempo inicial os seminaristas mesclam as atuações entre a Casa de Formação, as paróquias nas pastorais e a família. Nos meses dezembro e janeiro é o momento maior de poder estar com os seus familiares. Isso faz parte do processo de discernimento vocacional mediante ao que se quer assumir, que é o Ministério Sacerdotal. Assim acreditamos que a família é fundamental no período inicial da formação. Ela é o termômetro do próprio vocacionado diante de sua postura no meio do povo santo de Deus. Sem esta mesclagem, de ambientes formativos é quase que impossível dizer quem está apto para ser padre e assumir a grande família que é a Igreja paroquial.

Estamos iniciando mais um semestre eletivo. As aulas na PUC-Minas iniciam no dia 01 de fevereiro. A rotina no seminário reinicia como a finalidade de manter a disciplina de responsabilidades com as dimensões da formação. O momento inicial do semestre é sempre mais empolgante para quem já está processo a mais tempo o já na reta final. Mas também é de desafios para quem chega. Há sempre uma mistura de medo misturado com ansiedade, talvez um susto inicial. Neste semestre o Seminário está recebendo mais 4 jovens. 3 para a etapa do discipulado (filosofia) e 1 na etapa da configuração a Cristo (Teologia). Somando com os que já estão serão 12 seminaristas.

O Seminário corresponde o período da esperança e da continuidade Igreja. Desta forma podemos sim afirmar que o ambiente da formação inicial é o coração da Arquidiocese. Pois todo padre passou por este processo para chegar ao ministério que hoje assume. É improvável um jovem chegar a ordenação sem ter passado por esta formação. Pensando alegoricamente, aproveitamos para dizer que o Seminário, assim como o nosso coração precisa de muitos cuidados especiais, pois é um órgão vital de nosso corpo. E para este cuidado a observação é muito mais ampla do que o próprio órgão em si. Isso é para dizer que todos somos responsáveis pela formação, começando pelo bispo depois os padres e todo os povo santo de Deus. A responsabilidade com a formação primeiro é com as orações pelas vocações e sua perseverança até a morte e segundo com a própria ajuda material. Pois só podemos cobrar mediante aquilo que foi oferecido.

Por fim, a forte frase de Jesus mediante a deturpação do templo precisa estar em nossos corações em todo o trabalho de Evangelização da Igreja: “O zelo da tua casa me consumirá” (Jo 2,17), principalmente na preparação dos jovens para missão de ser padre da Igreja e na Igreja. Por isso, neste inicio de semestre convocamos as orações e a ajuda de todos, pois a messe é grande e os operários são poucos. Rezemos que o Senhor da Messe sustente os operários e envie mais para agregarmos ao projeto do Reino. Envia Senhor operário para a Messe!

Fonte: seminariodeuberaba.com

Compartilhe!

Papa propõe ‘catecumenato matrimonial’ para noivos

Os Sínodos sobre a família e a Exortação Amoris Laetitia nasceram da necessidade de ouvir aqueles fiéis que haviam silenciado suas consciências e depois reencontraram um caminho para ver um pouco de ‘luz’.

Foi o que disse o Papa na audiência aos membros do Tribunal da Rota Romana, que estão inaugurando o Ano Judiciário 2018.

O discurso do Papa teve como ponto central a consciência: seja nos casos dos quais os juízes se ocupam, como na vida das pessoas dos quais são protagonistas. As atividades dos Tribunais Eclesiásticos, seu empenho em causas de nulidade matrimonial e em geral, a pastoral familiar da Igreja – acrescentou Francisco – se expressam também como ‘ministério da paz das consciências e devem ser exercidos com toda a consciência’.

O Papa recomendou também o esforço de um ‘catecumenato matrimonial visto como itinerário indispensável para que jovens e casais revivam a sua consciência cristã amparada pela graça dos dois sacramentos: batismo e matrimônio’.

Todavia, quando a vida conjugal encontra em seu caminho graves obstáculos e fica ferida, chegando a pedir ajuda ao Tribunal, é preciso que o exercício da consciência sirva para evitar o risco de que de ‘o exercício da justiça seja reduzido a um simples processo burocrático’:

Francisco explicou ainda que esta é a razão pela qual estabeleceu que nos processos breves seja o próprio bispo diocesano a julgar a primeira instância dos casos de nulidade matrimonial.

Neste sentido, o Pontífice pediu aos membros da Rota que evitem o risco que ‘à consciência dos fiéis com dificuldades no matrimonio seja negado um caminho de graça’.

Fonte: vaticannews.va

Compartilhe!

Nova Constituição Apostólica reflete sobre as universidades e faculdades eclesiásticas

Um novo documento escrito pelo papa Francisco foi apresentado na segunda-feira, 29, durante coletiva de imprensa no Vaticano. A Constituição Apostólica “Veritatis Gaudium” ou “A Alegria da Verdade” versa sobre as universidades e faculdades eclesiásticas e substitui a Constituição Apostólica “Sapientia Christiana ou “Sabedoria Cristã”, escrita pelo então papa João Paulo II. Francisco assumiu a revisão do documento após a Congregação para a Educação Católica propor um novo quadro formativo.

“Passados quase quarenta anos, fiéis ao espírito e às orientações do Vaticano II e como sua oportuna atualização, torna-se hoje necessário e urgente uma atualização da referida Constituição Apostólica. De fato, permanecendo plenamente válida na sua visão profética e no seu lúcido ditame, precisa de ser integrada com as disposições normativas entretanto emanadas, tendo em conta ao mesmo tempo o desenvolvimento no campo dos estudos acadêmicos que se registou nas últimas décadas bem como as mudanças no contexto sociocultural a nível global, e ainda quanto foi recomendado a nível internacional na implementação das várias iniciativas a que aderiu a Santa Sé”, escreveu o pontífice.

Na apresentação do documento, o prefeito da Congregação para a Educação Católica, cardeal Giuseppe Versaldi afirmou aos jornalistas que a Constituição sobre os estudos acadêmicos eclesiásticos indica o sentido para uma renovação e um impulso da contribuição dos estudos eclesiásticos para uma Igreja missionária em saída, como inspirada na “Evangelii Gaudium”. Também presente na coletiva o secretário da Congregação, dom Angelo Vincenzo Zani destacou algumas novidades do documento. De acordo com ele, além de confirmar as disposições anteriores, a Constituição prevê novidades de natureza diversa, sendo que algumas dizem respeito aos cursos de estudos e aos relativos títulos, outras a figura dos docentes e de pessoas com cargo de responsabilidade e ainda algumas de aspectos institucionais.

Novidades

Uma das singularidades da nova Constituição é o Ensino à Distância. “A revolução informática e telemática é perpetrada amplamente nos sistemas acadêmicos abrindo cenários antes impensáveis com oportunidades novas de conhecimento, estudos e pesquisa”, afirmou dom Zani. Isto porque o documento prevê que uma parte dos cursos possa ser desenvolvida na modalidade à distância se o ordenamento dos estudos, aprovado pela Congregação para a Educação Católica, pressupor e determinar as condições.

Acesse a Constituição na íntegra.

Com informações do Boletim da Santa Sé

Fonte: cnbb.net

Compartilhe!

Dom Paulo Mendes Peixoto envia mensagem ao povo de Uberaba

Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba, participa essa semana de encontro que reúne os representantes das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) de todo Brasil. O 14º Intereclesial das CEBs acontece em Londrina, no estado do Paraná.

O arcebispo deixa uma mensagem ao povo da Arquidiocese de Uberaba:

“Gostaria de cumprimentar a todos! Nós tivemos na chamada Praça da Bíblia uma celebração de abertura do encontro, no dia 23. Nesta celebração, sentimos a importância desse evento, que conta com a participação de aproximadamente três mil pessoas, vindas de quase todas as Dioceses do Brasil. O encontro conta com a presença de representantes da Alemanha, da Itália e de outros países da América Latina. Temos a também a presença de várias classes importantes da ação pastoral da vida da Igreja. Um momento bonito! Flores bonitas, músicas bonitas e grandes manifestações que nos convidam a refletir sobre a importância da Pastoral da Igreja, principalmente na zona urbana. O tema que está sendo refletido é justamente a ação pastoral e as Comunidades Eclesiais de Base dentro do mundo urbano. Queremos repassar as informações sobre o que está acontecendo por aqui. Somos sete representantes da nossa Arquidiocese de Uberaba participando desse evento importante, que vai até o dia 27 de janeiro. Que Deus possa abençoar o encontro, que seja realmente um espaço de reflexão sobre a pastoral na cidade. Conto com você rezando por nós, torcendo para que seja um evento frutífero para a nossa Igreja no Brasil. Nosso abraço. Fique com Deus!”, Dom Paulo Mendes Peixoto.

Jordana Moreira
Assessora de Imprensa

Compartilhe!

Dom Paulo Mendes Peixoto participa nesta semana do 14º Intereclesial de CEBs

O arcebispo metropolitano de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, viaja hoje (22) para Londrina (PR) para participar do 14º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). O encontro acontecerá entre os dias 23 e 27 de janeiro e tem como tema: “CEBs e os desafios no mundo urbano” e o lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7).

As Comunidades Eclesiais de Base constituem uma face da Igreja Católica, seu intuito é promover a vocação e missão, formação e espiritualidade, organização e atuação do laicato, particularmente da juventude, na Igreja e no mundo. Para Dom Paulo, “muitos caminhos podem nos conduzir a Jesus Cristo, o de maior destaque, que está nas bases da história da Igreja, é o que passa pela vida de comunidade, pelos compromissos ali assumidos e a fraternidade conquistada. Nesse contexto entendemos as CEBs, as Comunidades Eclesiais de Base”.

Segundo o arcebispo de Uberaba, as CEBs tiveram uma história marcada por um “rosto” propriamente rural, com espírito bastante comunitário e cumpriu uma bela missão durante muito tempo. “Mas os tempos são outros e o povo agora se aglomera na cidade. O rural e o urbano se fundiram gerando uma nova realidade social, que afeta fortemente os compromissos de fé e de vida comunitária”, afirma. Dom Paulo acredita que devemos reinventar as CEBs na cidade, abrindo caminhos novos e contando com a força da Palavra de Deus e o dinamismo do Espírito Santo.

O arcebispo de Londrina, Dom Geremias Steinmetz, em artigo publicado no site da CEBs do Brasil, dá as boas vindas aos participantes do Encontro Intereclesial e informa que a arquidiocese de Londrina espera a todos com alegria e satisfação.

“As comunidades, com suas famílias acolhedoras esperam ansiosamente a chegada de todos. As muitas Equipes de Trabalho se preparam há vários meses para que tudo aconteça dentro do previsto e da necessidade de tão majestoso encontro. O Secretariado pensou em tudo com muito carinho. Está tudo preparado!”, escreveu o arcebispo.

Os Intereclesiais nasceram com a finalidade de partilhar as experiências, a vida e as reflexões das CEBs. Esses encontros revelam com maior clareza a situação em que vive o povo e possibilitam a prática do ecumenismo. “Agora esperamos no silêncio e na torcida para que todos cheguem bem e felizes e se sintam ‘em casa’ entre nós. No abraço que lhes daremos na chegada queremos lembrar o abraço que Deus continua dando em seu povo para animá-lo na luta. Que os desafios no mundo urbano não sejam motivos de desânimos, mas de unidade e luta por justiça e igualdade”, finalizou Dom Geremias.

Veja quais serão as temáticas do encontro: http://www.cebsdobrasil.com.br/2018/01/17/14o-intereclesial-das-cebs-13-temas-que-desafiam-vida-urbana-assessores-atualizados/

Leia o artigo do nosso arcebispo sobre o 14º Intereclesial: https://arquidiocesedeuberaba.org.br/14o-intereclesial/artigos/

 

Jordana Moreira

Assessora de Imprensa

Compartilhe!

Papa despede-se do Chile

O Papa Francisco despediu-se do Chile esta quinta-feira. Pouco antes das 17 horas, horário local, um avião A321 da Latam decolou do Aeroporto internacional “Diego Aracena” de Iquique, rumo ao Aeroporto internacional de Lima, distante 1.200 quilômetros.

O Pontífice foi acolhido na Sala Vip do aeroporto de Iquique pela presidente Michelle Bachelet, com quem conversou  por alguns minutos. Após passou em revista a Guarda de Honra e saudou as delegações.

O último compromisso público do Santo Padre em terras chilenas foi a celebração da Santa Missa no Campo Lobito, em Iquique. A presidente chilena participou da celebração.

No final da celebração, Francisco agradeceu a Dom Guillermo Vera Soto, Bispo de Iquique, pelas as amáveis palavras que lhe dirigiu em nome de seus irmãos bispos e de todo o povo de Deus no Chile. Agradeçeu ainda a Presidente Michelle Bachelet pelo convite para visitar o país.

O Santo Padre expressou de modo especial a sua gratidão a todos aqueles que tornaram possível a visita: às autoridades civis e, na pessoa delas, cada funcionário que, com profissionalismo, contribuiu para que todos pudessem desfrutar deste tempo de encontro.

Obrigado também – disse Francisco – pelo trabalho sacrificado e silencioso de milhares de voluntário: “sem o seu comprometimento e colaboração, teriam faltado as vasilhas com água para que o Senhor pudesse fazer o milagre do vinho da alegria. Obrigado a quantos, de muitas maneiras e formas, acompanharam esta peregrinação, especialmente com a oração. Sei do sacrifício que tiveram de fazer para participar nas celebrações e encontros. Aprecio-o e agradeço-o de coração. Obrigado aos membros da comissão organizadora. Todos trabalharam! Muito obrigado”.

O Santo Padre destacou em seguida que a sua peregrinação continuaria agora no Peru. “Povo amigo e irmão desta Pátria Grande que estamos convidados a cuidar. Uma Pátria que encontra a sua beleza no rosto pluriforme dos seus povos”.

E concluiu: “Queridos irmãos, em cada Eucaristia, dizemos: Olhai, Senhor, para a «fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a vossa vontade». Que mais posso desejar-vos do que terminar a minha visita dizendo ao Senhor: Olhai a fé desse povo e dai-lhe a união e a paz”. A última palavra foi para que não se esqueçam de rezar por ele.

Após a celebração, o Pontífice e séquito transferiram-se para a Casa de Retiros do Santuário Nossa Senhora de Lourdes, dos Padre Oblatos – distante 12 km – onde almoçaram.

O Papa foi acolhido pelo Reitor e por dois sacerdotes da Casa, que o acompanharam até a igreja, onde foi homenageado com flores por três crianças. Na igreja também estavam dez pessoas enfermas e 2 familiares das vítimas da repressão dos anos 70.

O Papa saudou Héctor Marín Rossel, presidente da Agrupación de Familiares de Ejecutados Políticos y Detenidos Desaparecidos de Iquique y Pisagua (Afepi). Seu irmão, Jorge, foi sequestrado em 28 de setembro de 1973, quando tinha 19 anos.

Ele entregou ao Papa uma carta onde descrevia os esforços do grupo para encontrar familiares desaparecidos, contando com a colaboração das forças armadas e do governo chileno.

Héctor, ademais, manifestou o seu apreço pela grande obra de promoção e defesa dos direitos humanos da Igreja no Chile.

Antes de partir para o aeroporto, Francisco posou para três fotos com um grupo de seminaristas, de Irmãs Salesianas Missionárias – que serviram o almoço – e com alguns membros do Comitê organizador local da viagem.

Por fim, o Papa saudou do papamóvel os sacerdotes que o aguardavam na saída.

No local, construído no início do século XX por desejo do vigário apostólico de Tarapacá e futuro primeiro cardeal, Dom Maria Caro, existe uma reprodução da célebre gruta de Massabielle, em Lourdes.

Desde 1949 o Santuário foi confiado aos Missionários Oblatos de Maria Imaculada (OMI), Congregação Missionária fundada em 1816 na França, por S. Eugène de Mazenod, para a evangelização das populações pobres das áreas rurais.

Fonte: vaticannews.va

Compartilhe!

Paróquia de São Geraldo de Uberaba é agraciada com relíquias de seu Padroeiro

Nossa paróquia de São Geraldo Majela foi agraciada com uma relíquia de nosso Padroeiro, São Geraldo. Seu corpo está no Santuário de Materdomini, na cidade que leva o mesmo nome, no estado de Nápoles, na Itália. São Geraldo foi um Missionário Redentorista simples e dedicado à missão evangelizadora. Viveu uma profunda proximidade com Jesus eucarístico.

A relíquia de São Geraldo constitui-se de pequenos fragmentos de seus ossos e “o contato com uma relíquia leva as pessoas a uma ligação maior com o santo, é algo palpável, visível. E, neste sentido, nos toca, para mergulharmos no exemplo de vida e missão de São Geraldo em sua resposta de amor a Deus” (Padre Sérgio Campos).

A relíquia é motivo de alegria, está sendo um presente muito especial para nossa Paróquia que caminha para seu JUBILEU DE PRATA (2020). De agora em diante, poderemos dizer: temos um pouco de Geraldo entre nós!O pedido para termos uma relíquia foi encaminhado para o Padre Inácio de Medeiros, Superior Provincial dos Redentoristas de São Paulo que, gentilmente, disponibilizou para nossa paróquia em vez de uma, 03 relíquias.

Em uma pequena Teca (estojo) estão uma relíquia de Santo Afonso, fundador dos Redentoristas; de São Clemente Maria Hoffbauer, santo redentorista e de São Geraldo.Junto, veio um diploma do Postulador Geral da Congregação atestando a autenticidade. Tudo é de maio de 1935 e fazia parte do patrimônio da Província.

Padre Fabiano Roberto
Pároco

Compartilhe!

Festa de Santos na Capela do bairro Olinda

Centenas de devotos participaram ontem, dia 07, do encerramento da festa em louvor aos Santos Reis, na capela do bairro Olinda, em Uberaba.  A celebração, com procissão, foi presidida por monsenhor Paulo Porta.

Ao final, conduzido pelo canto da Folia do Placa, foi feita a passagem das coroas. Os antigos festeiros passaram as coroas para os novos!

Da redação

Compartilhe!