Padre Alécio também comemora Jubileu de Prata

Quem também estará comemorando o seu Jubileu de Prata sacerdotal é padre Alécio Donizete Freire, 49 anos, atual pároco de Aparecida de Minas.

Após celebrar os 25 anos de sacerdócio, conjuntamente com monsenhor Valmir, em 26 de agosto, no Mosteiro da Gloria – em Uberaba, padre Alécio celebrará também a passagem junto com os seus paroquianos de Aparecida de Minas. A missa festiva será no dia 30 de agosto, as 19h30, na matriz de Nossa Senhora Aparecida.

Natural do Carmo do Rio Claro – sul de Minas, Alécio Freire fez Filosofia em Poços de Caldas – MG e Aparecida – SP. Já a Teologia cursou no Seminário São José, sendo ordenado padre por dom Benedito de Ulhoa Vieira em 26 de agosto de 1989.

Foi pároco em Conquista durante 10 anos. Depois atuou em Santo Antônio – Frutal, São Geraldo Majela – Alfredo Freire e Santa Luzia, onde na função de vigário paroquial pode formar-se em Jornalismo. Posteriormente ajudou a criar a Área Pastoral São José Tutunas, atual paróquia.

De 2009 a 2013 trabalhou no Rio de Janeiro, mais precisamente na Capelania de São Jorge, zona oeste da capital carioca. De volta a Uberaba foi designado para Aparecida de Minas, onde permanece.

 

Da Redação

 

padre alecio

  Leia mais

Compartilhe!

Nova matriz de Santa Bárbara ganha torre

A nova igreja de Santa Bárbara, no bairro Valim de Melo, já conta com imponente torre. No momento estão sendo feitos serviços de reboco.

A conclusão da torre ocorreu a pouco mais de um mês. Ao todo, são 16 metros de torre e mais uma cruz de 2,5 metros, toda iluminada. Também na torre, que fica do lado esquerdo do templo, foi reservado espaço para um campanário, que será adquirido posteriormente.

A nova matriz de Santa Bárbara ainda não tem data para ficar pronta. Atualmente estão sendo feitos os serviços de reboco, tanto na área interna como externa. A obra segue com os recursos das festas, promoções e doações através de carnês.

O pároco, padre Fábio Meira lembra que qualquer doação é bem vinda, sendo que os interessados em ajudar podem procurar a Secretaria da Paróquia pelo telefone 334-5662 (falar com Rita). Apesar do novo templo já ter sido usado para alguns sacramentos e as celebrações da Semana Santa, o sacerdote adianta que a festa de dezembro ainda será feita na igreja velha.

A obra para a construção do novo templo de Santa Bárbara foi iniciada a cerca de dois anos. Ao todo são 500 m² de construção, já cobertos e com contra piso. Quanta pronta a igreja terá capacidade para 400 pessoas sentadas.

A paróquia Santa Bárbara, que tem como co padroeira Nossa Senhora do Carmo, fica na divisa dos bairros Valim de Melo e Chica Ferreira, na avenida Iolanda Mota Leite, 1070.

 

Rubério Santos

 

 

 

 

  Leia mais

Compartilhe!

REUNIÕES DE REGIÕES PASTORAIS

REUNIÕES DE REGIÕES PASTORAIS

2º SEMESTRE / 2014

Região Pastoral

Paróquia que se realizará

Data

Horário

Região Catedral Catedral

21/08/14

19h

Região Conceição das Alagoas Santo Antônio (Planura)

23/08/14

09h

Região N. Sra. das Graças Santa Edwirges

03/09/14

19h

Região Prata São Miguel (Veríssimo)

16/09/14

19h

Região Ressurreição Santa Maria Mãe de Deus (N. Sra. Aparecida)

17/09/14

19h

Região Romaria São Miguel (Nova Ponte)

18/09/14

19h

Região Abadia São José (Gameleira)

08/10/14

19h

Região Araxá Santo Antônio (Araxá)

15/10/14

19h

Região Sacramento São José (Ponte Alta)

16/10/14

19h

Região Frutal N. Sra. de Fátima (Fronteira)

17/10/14

19h

 

Prezados (as) Irmãos (ãs),

Algumas orientações que são necessárias para este nosso Encontro de Região Pastoral:

1-     A Reunião da Região Araxá, diante da agenda do Sr. Arcebispo, sofreu uma alteração de data, que está em destaque acima;

2-     As reuniões que acontecerão durante a semana, o horário será antecipado para as 19h. Como se trata de uma reunião semestral, o Sr. Arcebispo solicita que alguma atividade celebrativa seja cancelada ou se faça Celebração da Palavra. Pois, assim teremos tempo de tratar com tranquilidade os devidos assuntos;

3-     Neste 2º semestre o momento de estudo será o Doc. 100 da CNBB. Caso ainda não tenha o documento é importante adquiri-lo ou baixar pela Internet;

4-     Para participação nesta reunião, lembrando que se trata de formação, deverão participar as seguintes pessoas:

  1. Todos os membros do CPP;
  2. Todos os membros das seguintes pastorais: Juventude, Familiar, Criança e Catequética;

5-     Os membros pertencentes às pastorais, movimentos e serviços arquidiocesanos, como também os Diáconos Permanentes e as Leigas Consagradas, deverão participar destas reuniões, em suas respectivas regiões, para que estejam inteirados do assunto tratado nesta reunião como também da formação.

Certo da colaboração de todos,

Pe. José Edilson da Silva Leia mais

Compartilhe!

Encontro da MECE

MECE1Mais de 600 ministros extraordinários da Comunhão Eucarística, das 59 paróquias da Arquidiocese de Uberaba, participaram no último dia 02 de agosto, no ginásio o Jockey Club, de Encontro de Espiritualidade.

O pregador foi o padre e jornalista Eduardo Maladaspina, da Diocese de São Carlos -SP. Ele abordou a importância da missão e ao mesmo tempo, alertou os ministros para o fato que apesar da investidura são fiéis paroquianos como os outros. Padre Eduardo chamou atenção também no sentido de que o ministro distribua a hóstia com alegria.

O encontro foi encerrado com celebração eucarística presidida por dom Paulo Mendes Peixoto. A organização do evento coube a padre MECE2Vanderlei Izaumi, diretor Espiritual da MECE.

Rubério Santos

Assessor de Imprensa

Uberaba, 07 de agosto de 2014 Leia mais

Compartilhe!

O adeus a Dom Benedito

O velório do corpo do arcebispo emérito de Uberaba, dom Benedito de Ulhoa Vieira, estendeu-se durante toda a segunda-feira (dia 04), com missas no Santuário da Medalha e na Catedral Metropolitana. Já passava das sete da noite quando o corpo fora sepultado em jazigo dos bispos na própria igreja Catedral.

Logo pela manhã o corpo chegou ao Santuário da Medalha Milagrosa para uma segunda missa de corpo presente. A cerimônia foi presidida por padre Ricardo Fidelis, reitor daquele santuário e concelebrada por 15 sacerdotes.

Na oportunidade foram prestadas homenagens ao arcebispo pelas monjas concepcionistas e pelas escritoras Ani e Iná que eram colegas de Dom Benedito na Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Padre Ricardo frisou em seu sermão que dom Benedito era homem da Eucaristia e nada mais justo que homenageá-lo com uma celebração eucarística. “Além do mais era pessoa querida por todos no Santuário, afinal dedicará oito anos da sua vida aquela casa, logo após tornar-se arcebispo emérito,” argumentou o sacerdote.

Ao meio dia, com o corpo já de volta a Catedral, dom Antônio Braz Benevente presidiu uma terceira celebração dedicada a dom Benedito. A missa contou com a participação de familiares do arcebispo, como a irmã Maria Leonor Vieira Prado Santos e os sobrinhos Ricardo e Eduardo.

Ordenado padre por dom Benedito em 1986, o bispo de Jacarezinho – PR enalteceu a figura do pai sempre presente no arcebispo. “Ele tinha o coração dócil, porém, sabia puxar a orelha na hora certa, ajudando aqueles que o procuravam,” ressaltou.

Irmã Anita Rocha, da Congregação das Dominicanas, lembrou da sua incansável defesa em prol dos pobres e injustiçados. “Com sua força ele ia abrindo caminhos em defesa das comunidades necessitadas,” enfatizou.

Com a Catedral toda tomada, às 17 horas teve início a missa das Exéquias. Presidida por dom Paulo Mendes Peixoto, a celebração reuniu sete bispos. Além do arcebispo uberabense, dom Paulo Machado, de Uberlândia, dom Cláudio Sturm, de Patos de Minas, dom Francisco Carlos da Silva, de Ituiutaba, dom José Moreira, de Itapeva – SP e dom Antonio Braz Benevente, de Jacarezinho, além do emérito de Caitité – BA, dom Alberto Rezende.

Mais de 70 padres também participaram da cerimônia, que contou ainda com as presenças do vice-prefeito de Uberaba, Almir Silva, a primeira dama Heloisa Piau, o prefeito de Sacramento, Bruno Cordeiro que cobriu o caixão com a bandeira do seu município e vereadores de Frutal, Planura, Conceição das Alagoas e Uberaba.

Após a missa, dom Paulo Peixoto fez a oração das exéquias com os demais bispos aspergindo água bento sobre o corpo de Dom Benedito. Em seguida sacerdotes e leigos saíram em procissão conduzindo o caixão pelo entorno da praça Rui Barbosa. De volta a Catedral, o corpo foi sepultado em Jazigo dos Bispos, construído pelo próprio dom Benedito, quando da reforma da matriz de Uberaba em seu episcopado.

Em respeito à figura pública de Dom Benedito Ulhoa Vieira, o prefeito Paulo Piau decretou luto oficial de três dias no município de Uberaba, ato repetido pela Prefeitura de Sacramento.

 

Rubério Santos

Assessor de Imprensa

 

Uberaba, 04 agosto de 2014

 

 

  Leia mais

Compartilhe!

Missas marcam as despedidas de Dom Benedito

DSC_0392O velório do corpo do arcebispo emérito de Uberaba, dom Benedito Ulhoa Vieira, prosseguiu nesta segunda-feira (dia 04), com missas as 9 e 12 horas. O sepultamento será às 19 horas em jazigo dos bispos na Catedral Metropolitana.
Logo pela manhã o corpo chegou ao Santuário da Medalha Milagrosa para uma segunda missa de corpo presente. A cerimônia foi presidida por padre Ricardo Fidelis, reitor daquele santuário e concelebrada por 15 sacerdotes.
Na oportunidade foram prestadas homenagens ao arcebispo pelas monjas concepcionistas e pelas escritoras Ani e Iná que eram colegas de Dom Benedito na Academia de Letras do Triângulo Mineiro.
Padre Ricardo frisou em seu sermão que dom Benedito era homem da Eucaristia e nada mais justo que homenageá-lo com uma celebração eucarística. “Além do mais, dedicou oito anos da sua vida para o Santuário da Medalha, logo após tornar-se arcebispo emérito,” argumentou o sacerdote.

DSC_0449Ao meio dia, na Catedral, dom Antônio Braz Benevente presidiu uma terceira celebração dedicada a dom Benedito. A missa contou com a participação de alguns de seus familiares, como a irmã Maria Leonor Vieira Prado Santos e os sobrinhos Ricardo e Eduardo.
Ordenado padre por dom Benedito em 1986, o bispo de Jacarezinho – PR enalteceu a figura do pai sempre presente no arcebispo. “Ele tinha o coração dócil, porém, sabia puxar a orelha na hora certa, ajudando aqueles que o procuravam,” ressaltou.
Irmã Anita Rocha, da Congregação das Dominicanas, lembrou da sua incansável defesa em prol dos pobres e injustiçados. “Com sua força ele ia abrindo caminhos em defesa das comunidades necessitadas,” enfatizou.

O velório será encerrado com missa das Exéquias, marcada para as 17 horas na Catedral Metropolitana. Ela será presidida por dom Paulo Mendes Peixoto e concelebrada pelos 80 padres da Arquidiocese de Uberaba. São esperados também bispos e padres de vários
pontos do Brasil, além de representações civis da nossa região.
Após a missa, os participantes sairão em procissão conduzindo o caixão com o corpo pelo entorno da praça Rui Barbosa. De volta a Catedral, o corpo de dom Benedito será sepultado em Jazigo os Bispos, construído pelo próprio arcebispo, no altar da matriz de
Uberaba.
Em respeito à figura pública de Dom Benedito Ulhoa Vieira, o prefeito Paulo Piau decretou luto oficial de três dias no município de Uberaba.
Rubério Santos
Assessor de Imprensa
Uberaba, 04 agosto de 2014 Leia mais

Compartilhe!

Velório de Dom Benedito Ulhoa Vieira

Algumas fotos do velório do episcopado e amigo Dom Benedito.

 

Leia mais

Compartilhe!

Povo de Uberaba se despede de Dom Benedito

VelorioDomBeneditoO caixão com o corpo de dom Benedito Ulhoa Vieira chegou a Catedral por volta das 21h45min deste domingo, dia 03 de agosto.

Logo em seguida, Dom Paulo Peixoto presidiu missa de corpo presente. Cerca de 20 padres de Uberaba e região concelebram com o arcebispo. Dezenas de fiéis participaram da missa.

A pregação coube ao monsenhor Geraldo Majela, o padre mais velho e em atividades da diocese uberabense. Ele lembrou o amigo e do legado deixado por ele. “Ele era para nós sinal de paz, um verdadeiro pai. Com certeza o seu exemplo de vida continuará gerando frutos,” arrematou.

Ao final, dom Paulo encomendou a alma do colega no episcopado e depois aspergiu água benta sobre seu corpo.

O velório seguiu durante a madrugada na Catedral. Agora pela manhã, às 9 horas, será celebrada a segunda missa de corpo presente. Desta vez no Santuário da Medalha Milagrosa, onde dom Benedito foi capelão por quase oito anos.

Ao meio dia, com o corpo de volta a Catedral, será realizada uma terceira celebração que deverá ser presidida pelo arcebispo dom José Moura, presidente do Regional Leste II. A missa deverá contar também com a presença de Antônio Braz Benevente, bispo de Jacarezinho–PR que fora ordenado padre por dom Benedito.

Encerrando, às 17 horas, acontece a missa oficial das Exéquias. Em seguida haverá cortejo pela praça Rui Barbosa, retornando a Catedral onde o corpo será sepultado em Jazigo dos Bispos.

Rubério Santos

Assessor de Imprensa

Uberaba, 04 de agosto de 2014 Leia mais

Compartilhe!

Histórico de Dom Benedicto

BeneditoUlhoaVieiraNasceu aos 9 de outubro de 1920 em Mococa, SP, recebendo o nome de Benedicto, com o significado de “abençoado por Deus”, passando a adotar apenas a grafia Benedito por ser mais moderna.

Em Mococa, iniciou o Curso Fundamental completado no Seminário de Pirapora, SP, estudou Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, São Paulo, SP, ordenando-se padre a 8 de dezembro de 1948 pelo Cardeal D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Costa. Em 1953 doutorou-se em Teologia. Assumiu relevantes cargos em São Paulo: Professor e Capelão da PUC; Reitor do Seminário Central do Ipiranga; Vice Reitor da PUC e Pároco dos Universitários. A restauração administrativa da Arquidiocese de São Paulo, à época, foi orientada por D. Benedito. Era Vigário Geral quando em 1972 foi ordenado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, onde permaneceu até 1978 quando foi nomeado Arcebispo de Uberaba com posse a 15 de setembro de 1978. A frente da diocese uberabense permaneceu até maio de 1996, quando foi substituído por dom Roque Oppermann.

Quinto bispo e segundo arcebispo na história da Igreja em Uberaba, neste tempo também dom Benedito foi eleito vice Presidente da CNBB de 1983 a 1987.

Dom Benedito elevou a igreja da Abadia a Santuário de N. S. da Abadia, por ser a principal igreja de devoção popular a N. Senhora, em Uberaba. Em seu tempo, conforme determinação superior, instituiu na Arquidiocese o Curso “Propedêutico” na Paróquia Santa Teresinha, como preparação imediata ao Curso de Filosofia dos seminaristas. Em 1980, na sua primeira visita de entrega de relatórios eclesiásticos “ad limina”, em Roma, foi recebido pelo Papa João Paulo II, ocasião em que o Papa recomendou a assídua visita de Nossa Senhora às famílias, para a preservação da fé católica.

Seu mandato em nossa Arquidiocese se destacou por duas características principais: firme liderança em necessárias realizações e zelo pastoral. Deve-se à liderança pastoral de Dom Benedito a reabertura do Seminário São José na construção do novo prédio no Jardim Induberaba.

A frente da Arquidiocese de Uberaba dom Benedito fez cerca de 150 visitas pastorais, criou 11 paróquias, ordenou 30 padres e realizou a reforma da catedral, elevando o piso do presbitério, trazendo o altar um pouco mais para frente, além de dotá-la de jazigo destinado aos bispos, inaugurado com a transladação dos ossos de D. Eduardo, primeiro Bispo de Uberaba.

Foi responsável também pela criação da Comissão de Direitos Humanos da Arquidiocese, com relevante contribuição à sociedade à sua época.

Realizou a dedicação da Catedral, da “Adoração”, da matriz de Pedrinópolis e da Igreja Abacial das Monjas Beneditinas.

Arcebispo Emérito de Uberaba, desde 28 de fevereiro de 1996, D. Benedito exerceu uma série de funções como: professor do Seminário São José, capelão do Santuário da Medalha Milagrosa e diretor da Escola Diaconal.

Escritor, por décadas escreveu artigo semanal para o Jornal da Manhã. Lançou uma dezena de livros e foi membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Assessoria de Imprensa Leia mais

Compartilhe!

Morre Dom Benedito Ulhoa Vieira, o bispo da esperança

Dom Benedicto 1Faleceu às 17h40 deste domingo, dia 03 agosto, no hospital São José, o arcebispo emérito de Uberaba, dom Benedito Ulhoa Vieira. Ele tinha 93 anos e estava internado há nove dias.

Dom Benedito morreu em decorrência de falência múltipla dos órgãos. Ele fora internado no último dia 26 de julho no Hospital São José, em Uberaba, sendo que na última quinta (31), em razão do agravamento da doença foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva. O arcebispo tinha cardiopatia, asma crônica e por fim, insuficiência renal.

O corpo de Dom Benedito Ulhoa Vieira será velado na Catedral Metropolitana, a partir das 21 horas deste domingo. Ás 22 horas será celebrada a primeira missa de Corpo Presente, presidida por dom Paulo Peixoto e concelebrada, sobretudo, pelos padres as paróquias de Uberaba.

O velório se estenderá até a tarde de segunda-feira, dia 04 de agosto. Ás 17 horas será celebrada nova missa de Corpo Presente, na oportunidade com a presença de todo o clero arquidiocesano, bispos do Brasil, parentes de dom Benedito e centenas de fiéis. Encerrada a celebração, o corpo será sepultado em Jazigo dos Bispos no lado direito do altar da Catedral. Em nota Paulo Mendes Peixoto, arcebispo metropolitano, lamentou a perda do amigo no episcopado, agradecendo a Deus pela vida de dom Benedito e o seu eficaz trabalho dedicado a arquidiocese uberabense e a Igreja do Brasil.

Natural de Mococa – SP, Dom Benedito Ulhoa Vieira foi o quinto bispo e segundo arcebispo da Arquidiocese de Uberaba. Era auxiliar da Arquidiocese de São Paulo quando em 1978 fora nomeado pelo papa arcebispo de Uberaba, tomando posse em 15 de setembro de 1978. Ficou 18 anos a frente da diocese, passando o episcopado para dom Roque Oppermann em maio de 1.996.

Inúmeros foram os seus trabalhos no pastoreio do povo católico do Triângulo. Foi responsável pela ordenação de 30 padres, criação de 11 paróquias e a reabertura do Seminário São José, tendo construído novo prédio ao lado da igreja Santa Luzia. Ficou conhecido pela sua intelectualidade, pelos seus sermões em defesa dos pobres, oprimidos e injustiçados, além de jamais se omitir das causas nacionais. Ações que tiveram reconhecimento por todo o país, sendo eleito vice-presidente da CNBB de 1983 a 1987. Dom Benedito escreveu 10 livros, milhares de artigos e por décadas foi membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Rubério Santos

Assessor de Imprensa

Uberaba, 03 de agosto de 2014 Leia mais

Compartilhe!