O Emanuel

Isaías, que atuou como profeta durante 40 anos, a partir de 740 antes de Cristo, anunciava um significativo sinal a acontecer na história da salvação, a chegada do Emanuel, Deus conosco (Is 7,14). Esse anúncio profético se concretizou com a chegada do Menino Jesus na data do Natal. Isto é Mistério da Encarnação do Verbo, da Palavra, quando Deus vem ao encontro da humanidade para elevá-la.

O projeto salvador de Deus para o povo era anunciado nas palavras do profeta Natan (2Sm 7,5-16), reforçando o indicativo de Isaías quando fala do Emanuel. Tudo confirma a ação divina pairando sobre a humanidade como mistério de salvação. Mesmo diante das infidelidades cotidianas, da negação dos ensinamentos do Evangelho, Deus não abandona e nem deixa sua criatura desamparada.

No trono davídico, Deus coloca um descendente do rei Davi, revestido de poder duradouro e eterno. Jesus nasce com o título de Rei, uma herança dos antigos reis, mas despido de todas as regalias de um rei temporal. A manjedoura, isto é, um cocho para alimento dos animais, testemunha a simplicidade do nascituro. Em todo esse cenário, entendemos o projeto de Deus para salvar a humanidade.

Os reis do passado não deram atenção ao projeto de Deus e se voltaram para seus próprios interesses, construindo palácios ricos e pomposos. Muitos deles com exploração das pessoas. O reinado de Jesus foi de simplicidade e seguimento da vontade do Pai. Ele agiu com cuidado amoroso, como Pastor comprometido com as causas das pessoas mais vulneráveis e abandonadas pelos outros reis.

Temos que entender o plano de salvação de Jesus, porque está envolvido de mistério, que foi mantido em segredo no passado e agora revelado no coração das pessoas. Esse mistério de salvação continua na vida da Igreja, guiada pelo Espírito Santo. No nascimento de Jesus está presente esse mistério, porque o Evangelho confirma a excepcionalidade da Encarnação, por obra do Espírito Santo.

Conforme a tradição, José era da descendência de Davi e Maria da linhagem de Aarão. Um casal que colocou suas vidas para que Deus cumprisse a promessa da Aliança feita com Abraão, a vinda de Jesus. Com o nascimento do Filho, formam uma família modelo, vivendo de forma simples, humilde, despida de todo tipo de vaidade e totalmente comprometida com a missão recebida.

Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

Compartilhe:

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por