Paróquia Nossa Senhora de Fátima, comunidade de fé que se renova

O Documento de Aparecida nos diz que a vida em comunidade é essencial à vocação cristã. Para sermos discípulos e missionários precisamos pertencer a uma comunidade, posto que “Deus não quis salvar-nos isoladamente, mas formando um Povo”. (LG 9) A experiência de fé, portanto, é sempre vivida em uma Igreja Particular. (Documento de. Aparecida, 2008, n. 84).

Como fundamento para essa afirmação, o Documento de Aparecida nos recorda que a “Igreja é comunhão no amor”, posto que esse é o sinal mediante o qual ela é chamada a ser reconhecida como seguidora de Cristo e servidora da humanidade. O que une entre si os discípulos de Jesus é o seu novo mandamento – “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15,12 )- eles se reconhecem irmãos, obedecem ao mesmo Mestre e por esse motivo, são chamados a cuidarem uns dos outros. (1Cor, 13; Cl 3, 12-14). (Documento de. Aparecida, 2008, n. 84).

Assim sendo, compreendemos que:

  1. ”O amadurecimento no seguimento de Jesus e a paixão por anunciá-lo requerem que a Igreja particular se renove constantemente em sua vida e ardor missionário. Só assim pode ser, para todos os batizados, casa e escola de comunhão, de participação e solidariedade. Em sua realidade social concreta, o discípulo tem a experiência do encontro com Jesus Cristo vivo, amadurece sua vocação crista, descobre a riqueza e a graça de ser missionário e anuncia a Palavra com alegria”. (Documento de. Aparecida, 2008, n. 167, p.85).

Desta forma, também a importância da vivência comunitária se torna clara para nós:

  1. b) “A vivência comunitária. Nossos fiéis procuram comunidades cristãs, onde sejam acolhidos fraternalmente e se sintam valorizados, visíveis e eclesialmente incluídos. É necessário que nossos fiéis se sintam realmente membros de uma comunidade eclesial e co-responsáveis em seu desenvolvimento. Isso permitirá maior compromisso e entrega na e pela Igreja”. (Documento de. Aparecida, 2008, n.226, p. 107).

Por outro lado, percebemos que a formação bíblico-doutrinal é também indispensável para realizarmos, em e com a nossa comunidade eclesial, a nossa vocação cristã:

  1. c) “A formação bíblico-doutrinal. Junto a uma forte experiência religiosa e uma destacada convivência comunitária, nossos fiéis precisam aprofundar o conhecimento da Palavra de Deus e os conteúdos da fé, visto que esta é a única maneira de amadurecer sua experiência religiosa. Nesse caminho, acentuadamente vivencial e comunitário, a formação doutrinal não se experimenta como conhecimento teórico e frio, mas como ferramenta fundamental e necessária no crescimento espiritual, pessoal e comunitário”. (Documento de. Aparecida, 2008, n.226, p. 107).

A Paróquia Nossa Senhora de Fátima, sob a inspiração do Espirito Santo, está se mobilizando de forma propositiva e vivenciando esse sopro renovador de esperanças e de forças em sua bela caminhada de fé ao longo de sua história. Nosso Pároco Frei Anízio Rodrigues, OFM, junto com os Freis Manoel Barbosa, OFM, nosso Vigário e Frei Reinaldo Augusto, OFM, nosso Guardião, convidam a todos e todas, irmãos e irmãs, a participarem ativamente de nossa Vida Paroquial, para que a Fraternidade Franciscana local seja também composta de leigos e leigas comprometidos com a Igreja missionária cuja “caridade mantém viva a esperança em meio às injustiças e adversidades”. (Documento de. Aparecida, 2008, n. 26, p.23).

PASCOM da Paróquia Nossa Senhora de Fátima

DOCUMENTO DE APARECIDA: Texto conclusivo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, Edições CNBB, Paulinas, Paulus, 2007. Documento Pontifício, Exortação Apostólica Christifideles Laici, sobre a vocação e a missão dos leigos na Igreja e no mundo, João Paulo II, São Paulo, Loyola, 1989, p. 23, 84-85, 107.

Compartilhe:

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por