DEFINIÇÃO

A Pastoral da Comunicação estrutura-se a partir dos documentos da Igreja, dos estudos e pesquisas na área da Comunicação e das práticas comunicativas vividas e experienciadas pelas comunidades e grupos, convertendo-se em um eixo transversal de todas as pastorais da Igreja. Ela nasce da junção de duas realidades que interagem reciprocamente: comunicação e pastoral. O universo da Comunicação abrange as distintas dimensões da realidade humana, enquanto o universo da pastoral envolve a dimensão socioeclesial, relacionada aos diferentes ambientes da Igreja em sua missão de evangelizar. A base da Pastoral da Comunicação é o próprio Deus, que conduz, guia e indica o caminho a seguir, e Jesus é referência e paradigma de toda a ação pastoral da Igreja, que tem como perspectiva anunciar, com a Comunicação, a Boa Nova do Evangelho. Assim, não se pode reduzir esta pastoral somente aos Meios de Comunicação, pois ela é um elemento articulador da vida e das relações comunitárias (Cf. Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil, CNBB, 2014, n. 244-247).

OBJETIVO GERAL

Colaborar com a ação evangelizadora da Igreja que anuncia a Jesus Cristo e o Reino de Deus, por meio de palavras, gestos e atitudes, utilizando-se das diversas tecnologias, alicerçados na Eucaristia, na Palavra e nos Documentos da Igreja.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

– Educar para a necessidade da evangelização e anúncio do Reino;
– Colocar-se a serviço de todas as pastorais para dinamizar suas ações comunicativas;
– Capacitar os agentes da Pascom e das demais pastorais na área da Comunicação;
– Favorecer o diálogo entre a Igreja e os Meios de Comunicação, para dar maior visibilidade à sua ação evangelizadora;
– Envolver os profissionais e pesquisadores da Comunicação nas reflexões da Igreja, para colaborar no aprofundamento e atualização dos processos comunicativos;
– Desenvolver as áreas da Comunicação na Igreja, como a imprensa, a publicidade e as relações públicas.

ESTRUTURAÇÃO NA PARÓQUIA OU COMUNIDADE

O primeiro passo para a estruturação da PASCOM é conhecer quais são as pessoas envolvidas nos diversos segmentos da Comunicação presentes na realidade paroquial, isto é, aqueles que trabalham com estes instrumentos (jornais, revistas, TV, rádios, fotografias, mídias sociais e etc.), pois serão essas as primeiras pessoas que devem ser envolvidas neste projeto. Contudo, também, não devemo-nos esquecer daqueles irmãos que, apesar de não trabalharem nestes segmentos, dispõe de boa vontade e são vocacionados para a anunciar e comunicar a Boa Nova de Jesus Cristo. A Pascom enquanto Pastoral não possui apenas o entretenimento como parte de sua estrutura, mas sim o compromisso do anúncio do Evangelho.

O segundo passo é verificar quais são os projetos e Meios de Comunicação que melhor se adequarão à realidade paroquial: jornal impresso, site, TV, rádio, facebook, blog, instagram, whatsapp, etc.?

Esta pastoral deverá, também, estudar e orientar-se pelo Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil (CNBB, 2014), livros próprios como “Pascom – A ação evangelizadora na Igreja à luz do Diretório de Comunicação” (Paulinas, 2016) e “Novas fronteiras da Pastoral da Comunicação” (Paulinas, 2009), ambos de Élide Maria Fogolari, bem como as diretrizes e planos de ação apresentados pela Pastoral da Comunicação Arquidiocesana. E, jamais esquecer que “ela (Pastoral da Comunicação) favorece o cultivo do ser humano enquanto pessoa que comunica valores, vivenciados a partir da Palavra de Deus e da Eucaristia, pois o anúncio sempre deve ser acompanhado pelo testemunho” (Cf. Diretório de Comunicação, n. 247).

Compartilhe!