Pastoral da Educação da Arquidiocese de Uberaba promove cursos no mês de janeiro

A Pastoral da Educação da Arquidiocese de Uberaba promoveu nas duas últimas semanas do mês de janeiro dois cursos para a comunidade. As aulas foram ministradas pela coordenadora da pastoral, Maria Rita Nascimento Pereira. Nos dias 18 e 25, o tema foi Paulo Freire, e nos dias 30 e 31, a temática foi a Diversidade Sexual no Contexto Escolar. Ambos foram realizados no Salão Paroquial da Catedral Metropolitana das 19h às 21h.

“A Pastoral da Educação oferece há quatro anos de quatro a cinco cursos anuais, voltados principalmente para os professores. Sempre com temas relacionados à formação e prática pedagógica. Do ano passado para cá, temos percebido que os professores têm tido certa dificuldade para trabalhar a questão da diversidade, seja no campo cultural, sexual, étnico, linguístico ou religioso. [Essa temática] tem causado alguns tipos de violência dentro da escola, porque as pessoas não sabem lidar com a questão e acabam excluindo crianças, adolescentes, jovens e adultos que não compactuam com a mesma forma de pensar”, pontua a coordenadora.

A Pastoral da Educação escolheu falar sobre a diversidade em razão da Campanha da Fraternidade 2018, cujo tema é: “Fraternidade e superação da violência”. O Evangelho de Mateus inspira o lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23, 8). Para Maria Rita a violência é fruto do não acolhimento, da não aceitação da diversidade.

Dentro dos cursos ministrados ao longo do ano será abordada a questão da diversidade em seus vários aspectos. “Vamos começar com a diversidade sexual e depois falar da diversidade cultural, étnica, religiosa etc. Nesse tema da Diversidade Sexual nós vamos abordar o seguinte: como o professor trabalha os diferentes indivíduos que se adentram no campo escolar? Como o professor vai lidar com a questão do homossexualismo, por exemplo. As pessoas têm muito medo e preconceito em falar sobre diversidade sexual”, afirma Maria Rita.

A importância de abordar esse assunto, segundo a coordenadora, está na formação inicial do professor, que não o prepara para isso. “Muitas vezes ele não sabe tratar a questão e se silencia frente à diversidade, seja ela qual for: cultural, sexual, étnica ou religiosa”. O objetivo de trabalhar essa temática dentro dos cursos é levar o professor a refletir sobre a forma que ele recebe o aluno e como lida com as diferenças. Para Maria Rita, o problema das diferenças não é a diferença em si, mas a forma como lidamos com ela. “Como preparar e trabalhar o outro para que a gente consiga interagir e viver em harmonia, respeitando cada um com a sua forma de viver? Penso que a partir dessa prática, a violência, a exclusão, a repetência e a evasão irão diminuir consideravelmente”. O conteúdo visa mostrar ao professor alternativas para socializar todos, independentemente de quem seja a pessoa que está dentro da escola.

Na aula do último dia 29/01, Maria Rita começou refletindo sobre o que está escrito na Constituição e convidou todos a repensarem suas atitudes. “Pela lei somos todos iguais, mas na prática não somos iguais. Se todos têm direitos, será que eu estou respeitado isso na minha prática pedagógica?”

O arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto, esteve presente e falou sobre a importância dos trabalhos promovidos pela Pastoral da Educação, entre eles a promoção dos cursos. O arcebispo afirmou que o individualismo gera violência e desrespeito para com o outro. Com relação aos cursos, Dom Paulo reforçou a importância de sua realização como forma de suscitar nos educadores e nas escolas, novas atitudes para construir a paz. “O desenvolvimento é o novo nome da paz, no dizer do Papa Paulo VI”, finalizou Dom Paulo.

O valor de cada curso é R$ 15,00 e toda verba será revertida para Casa de Acolhimento Medalha Milagrosa, da qual Maria Rita é presidente e coordenadora. Os temas e as datas para os próximos encontros ainda serão definidos, mas segundo Maria Rita o próximo será realizado no mês de fevereiro. Para outras informações, entrar em contato pelo telefone (34) 9 9102-8999.

Maria Rita é coordenadora da Pastoral da Educação, pedagoga, mestre e Doutora em Educação.

Jordana Moreira
Assessoria de Imprensa

Compartilhe!
0 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *