Presbíteros da Arquidiocese de Uberaba participam do Retiro anual do Clero

Entre os dias 7 e 10 de maio, os presbíteros da Arquidiocese de Uberaba se reuniram na Casa de Encontros Dom Antonio Maria Mucciolo, em Barretos (SP), para realizar o Retiro anual do Clero da Arquidiocese de Uberaba. O local se situa na Cidade de Maria e é destinado à formação e espiritualidade.

O retiro é uma oportunidade para o crescimento espiritual e um momento para fortalecer e animar a vocação e a missão presbiteral, além de ser uma obrigação canônica, prevista pelo Código de Direito Canônico (cânon 276 § 2 4º). O Retiro anual do Clero contou com a presença de todos os presbíteros da Arquidiocese, em comunhão com o arcebispo metropolitano, Dom Paulo Mendes Peixoto.

 

Este ano, o encontro foi orientado pelo bispo da Diocese de Sete Lagoas (MG), Dom Aloísio Jorge Pena Vitral, que salientou o “valor da essência humana do sacerdote em sintonia com sua vocação ministerial”, como conta o padre Alexandre Alves, vigário paroquial das paróquias de N. Sra. do Carmo, em Frutal, e de N. Sra. Aparecida, em Aparecida de Minas. “Celebrando menos de um ano de sacerdócio, realizei a primeira experiência de participar do Retiro do Clero de nossa Arquidiocese. Momentos de partilha, oração e unidade, algo marcante sob meu ponto de vista. A escolha do pregador foi excelente, pois suas colocações nos levaram a voltar-nos para nós mesmos”, conta padre Alexandre.

Ao centro, o bispo da Diocese de Sete Lagoas, Dom Aloísio Jorge Pena Vitral

Para o padre Fábio Meira, pároco da Paróquia de Santa Bárbara, em Uberaba, o retiro é sempre uma oportunidade para o sacerdote parar e ouvir a voz de seu coração, “lá onde Deus habita no mais íntimo de nosso ser. É um tempo de renovação e confirmação da vocação à qual fomos chamados”, descreve padre Fábio, que destaca a presença de Dom Aloísio Vitral. “Pudemos beber ainda mais da Fonte Viva que é a Palavra de Deus e assim, revigorados, entre momentos de deserto e partilhas, vivenciamos estes dias de graça. Que as moções do Espírito advindas desse retiro nos acompanhem ao longo deste ano”, incentiva o sacerdote.

Padre Sebastião Ribeiro, pároco da Quase Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, em Uberaba, conta que é costume esses encontros de oração e recolhimento terem seu início com o pôr do sol. “Ainda me lembro do meu primeiro retiro na década de 80 quando era um jovem estudante do ginásio. Aconteceu no ambiente do Centro Pastoral João Paulo II e foi pregado por um padre redentorista de nome Padre Costa. Para mim, foi uma experiência nova na vida de um iniciante de seminário e na vida sacerdotal”, conta.

Padre Sebastião afirmou que o retiro, como o nome já indica, é um momento importante na vida sacerdotal, pois retira o indivíduo de seu cotidiano, dos afazeres do dia a dia, da labuta sacerdotal e o coloca em um lugar envolto em silêncio para renovar sua espiritualidade, suas energias e suas amizades. “O bispo pregador nos apresentou as diversas facetas da vida sacerdotal: um ser humano revestido de fraqueza, enviado aos homens e mulheres de nosso tempo; sem ser super-herói, deve contar com a graça provinda de Deus, que o chamou e enviou, também com suas virtudes humanas. Sem a graça de Deus, não caminhamos bem. Aqui se salienta a dependência do ser sacerdotal com seu Deus que o mantém e o sustenta na vida”, concluiu feliz o sacerdote.

 

Confira fotos do Retiro Anual do Clero 2018:

    

 

Jordana Moreira
Assessoria de Imprensa

Compartilhe!
2 respostas

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *