São Bento e a Espiritualidade Beneditina: Ora et labora

A mensagem de São Bento e sua espiritualidade são sempre atuais e para todas as pessoas.

A espiritualidade beneditina é a vivência profunda da Eucaristia, dos Sacramentos, do louvor divino na Liturgia das Horas; é a vivência orante da Palavra de Deus, através da Lectio Divina, dos ensinamentos dos Santos Padres.

São Bento traz como elementos básicos para a vida cotidiana: humildade, silêncio, obediência, oração (Liturgia das Horas e Lectio Divina), o sentido pascal da vida, a paz, a discrição, o trabalho, o cuidado com os doentes, a condenação da murmuração, a pontualidade, a hospitalidade, o amor para com os pobres, peregrinos, idosos e crianças.

A Regra de São Bento focaliza quatro pontos fundamentais para uma vivência cristã libertadora: 1. Conversão dos Costumes; 2. Pax beneditina; 3. Ora et labora; 4.Vida Comunitária.

Mosteiro Nossa Senhora da Glória

Dom Alexandre do Amaral, Bispo de Uberaba em 1948, recebeu no mês de maio um grupo de seis monjas, vindas da Dinamarca para fundar um Mosteiro da Ordem Beneditina em Uberaba. Em 8 de setembro do mesmo ano, durante a Véspera da Festa da Natividade de Nossa Senhora, Dom Alexandre oficializou a fundação do Mosteiro de Nossa Senhora da Glória de Uberaba. Atualmente, a comunidade beneditina é formada por 15 monjas e 4 noviças.

Durante 72 anos, as monjas beneditinas prestam serviços a nossa comunidade, acolhendo as pessoas que vão até o Mosteiro em busca de uma palavra de conforto, de um pedido de oração ou de uma orientação espiritual. Acolhem as crianças para a catequese e também recebem os adultos que querem vivenciar a espiritualidade beneditina como Oblatos – leigos beneditinos.

As monjas e suas obras – Ora et labora

            As monjas beneditinas celebram a Liturgia das Horas e esses momentos de oração e louvor são abertos ao público, assim como as Santas Missas, celebradas diariamente às 7h15, de segunda a sábado, e aos domingos e dias santos, às 7h30.

Além das atividades domésticas do Mosteiro, as monjas mantêm em plena atividade uma padaria e o ateliê de bordado, pintura e cerâmica. A Abadessa Madre Escolástica pinta belíssimos ícones. Tudo que é produzido por elas, é vendido na Lojinha do Mosteiro para ajudar na manutenção da comunidade.

Durante muitas décadas, um grupo de Oblatas manteve a Obra Social de São Bento, onde confeccionavam produtos artesanais que eram vendidos na lojinha. Com o dinheiro arrecadado, produziam pijamas de flanela para crianças que eram distribuídos no mês de maio e camisas, shorts e vestidos, distribuídos em dezembro para que as crianças tivessem uma roupa nova para o Natal.

Atualmente, esta obra está sendo revitalizada e suas atividades logo serão retomadas.

            “Oblação beneditina: oferta a Deus e aos irmãos”

A Oblação é um caminho, uma via em busca da perfeição cristã. O Oblato é um cristão que busca trilhar o caminho dos mandamentos de Deus, guiado pelo Evangelho.

Vários leigos de nossa cidade e da região, em busca de uma vida cristã mais fervorosa sem entrar para a vida religiosa, filiam-se a uma família monástica de sua escolha, por um laço de ordem espiritual, a fim de poder, graças a esta filiação, participar dos méritos dessa comunidade, servindo a Deus e aos irmãos.

Hoje, no Mosteiro Nossa Senhora da Glória somos em média 40 Oblatos ativos, buscando viver e levar para o mundo a Espiritualidade Beneditina.  Os Oblatos são os braços do mosteiro envolvendo o mundo, sendo chamados a viver sua missão em seu dia a dia, na família, no trabalho, na escola, no mundo da política, nos movimentos populares. E a testemunhar, pela palavra e pela vida, a mensagem de Jesus Cristo.

Nosso testemunho

Nossa mãe Dalma chegou ao Mosteiro na década de 1960, a convite de suas amigas Roma e Esmeralda. E através delas como Oblatas, Dalma (Ir. Cristina), Roma (Ir. Maria da Natividade) e Esmeralda (Ir. Maria do Rosário) e dessa experiência de estar filiadas a uma família monástica, acabamos vivendo grande parte de nossa experiência religiosa no Mosteiro, que foi passando de geração em geração. Filhas e netas de Dona Dalma tiveram como catequistas as Irmãs do Mosteiro.

Viver em comunidade é sempre uma oportunidade de aprendizado e de troca. Durante nossa infância, além dos ensinamentos catequéticos, aconteceram os de bordado e cerâmica. Nos últimos anos, nós também pudemos retribuir parte desse amor e dedicação levando para as irmãs um pouco do que aprendemos com a Caligrafia Artística (Santusa) e com o Bordado (Salma).

Seguindo os passos dessas mulheres cristãs, nós também nos tornamos Oblatas, Salma (Ir. Clara) e Santusa (Ir. Teresinha). Assim como nós, em várias Paróquias de Uberaba encontramos Oblatos servindo a Deus e aos Irmãos.

Santusa Carvalho

 

Compartilhe:

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por