Sínodo e Natal

Alguns momentos são fundamentais na vida da Igreja. Eles ajudam na reflexão, despertam a consciência de responsabilidade e compromisso com a prática concreta do Evangelho. São fontes de ação pedagógica para evidenciar o comportamento que os cristãos têm diante dos compromissos assumidos no dia do batismo. Assim, o Papa Francisco convida os cristãos a refletirem sobre o sentido do Sínodo.

No mês de novembro de 2023, acontecerá em Roma mais um Sínodo dos bispos. Será oportunidade para refletir sobre o sentido humano de caminhar juntos, dentro do espírito da sinodalidade. Mas não será Sínodo somente dos bispos. Já está acontecendo em todos os países, como processo de escuta e de reflexão nas comunidades. O povo está sendo ouvido e convidado a praticar o que é proposto.

Na verdade, o Sínodo está numa fase diocesana. Iniciou-se com a formação e organização de Comissões na Arquidiocese, reuniões e lives formativas, a abertura oficial no dia 17 de outubro e vários passos que estão acontecendo até chegar a uma síntese dos trabalhos. Portanto, esse acontecimento não será simplesmente um evento em Roma, mas envolvimento de todos que participarem.

Como sempre acontece no tempo das festividades do Natal, que congrega cristãos e não cristãos, esse Sínodo quer envolver todas as pessoas de boa vontade. Na visão do Papa Francisco, o que deve acontecer mesmo é o renascimento de uma Igreja renovada, muito mais comprometida com a fraternidade e com capacidade de convivência no meio da grande diversidade de riquezas da sociedade.

Falamos de diversidade, de riqueza na vida do povo, porque o Espírito sopra onde quer (Jo 3,8). É como o sopro da vida com a presença do Menino Jesus no Dia do Natal, Deus entre todos, para dar capacidade às pessoas de se relacionarem e conviverem bem, mesmo que cada um seja diferente em seus ideais. Uma capacidade que vem de Deus, de compromisso com as exigências da fé.

Então, Sínodo e Natal se complementam em seus objetivos e têm a mesma finalidade. O alvo principal é o caminhar juntos, que é o sentido próprio da sinodalidade, do Sínodo, do somar forças para viver a fraternidade. O mais importante é o envolvimento de cada pessoa e assim cada um poder beneficiar-se da grande oportunidade na construção de uma sociedade mais humana e fraterna.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por