Tempo da Sabedoria

A palavra sabedoria é interpretada como ciência, erudição e saber. Eu digo ainda mais: ter sabor pelas coisas boas, especialmente no nível da espiritualidade, no caso, o saborear as coisas de Deus. A prática da vida cristã supõe sabedoria intelectual e muito sabor como expressão de fé. É a inteligência humana ultrapassando os limites da esfera temporal, vivenciando as realidades da vida divina.

Na cultura da tecnologia e do alto nível da comunicação, é inconcebível viver totalmente na ignorância em relação aos bens da natureza criada. Em relação à cultura religiosa, onde existe o primado da sabedoria divina, muitas pessoas ficam à margem das riquezas de Deus por força da ignorância. A fonte dessa riqueza está presente nas palavras da Sagrada Escritura, lugar da fala de Deus ao povo.

Entender esse tempo, que evidencia o fato da ressurreição de Jesus Cristo, é realizar um ato de sabedoria divina e de sabor pelo projeto salvador do Senhor na história dos povos. Uma exigência é conhecer a verdadeira identidade de Deus, consolidada perfeitamente na Pessoa de Jesus Cristo, crucificado, morto e ressuscitado, gesto realizado por Ele numa ação consciente, na obediência e no amor.

Os dois testamentos bíblicos são expressão de sabedoria, de um antes profético e de um depois, sintetizados na Pessoa de Jesus Cristo. É caminho histórico de libertação e superação das fraquezas físicas, existenciais e espirituais da pessoa, tornando-o capaz para entrar na dinâmica do Reino do Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó. Significa que o ser humano se torna uma pessoa nova em Deus.

A dinâmica bonita e graciosa do caminho salvador de Deus revela o acúmulo de sabedoria divina encontrado nos novos tempos. Acúmulo esse identificado plenamente na Pessoa de Jesus Cristo ao assumir, de forma consciente, o processo da paixão, do sofrimento e de sua morte na cruz. O ponto alto de toda sabedoria de Deus é consolidado na Páscoa da Ressurreição, vida nova em Cristo.

A Páscoa é expressão de amor, como carimbo no coração do cristão, exigindo dele ação profética, com sabedoria, nas realidades da cultura moderna. A grande força da ressurreição pascal, apoiada no amor divino, na vida da pessoa de fé, tem como alvo apostólico a construção do Reino de Deus, no aqui e agora da sociedade. A vida cristã continua nas realidades sacramentais da Igreja hoje.

Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo de Uberaba

Compartilhe:

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de Uberaba. Feito com por