Editorial

  Olá, amigos e amigas…

  A edição de outubro do Jornal Metropolitano (já há um bom tempo na versão on-line), dará ênfase a um ponto fundamental de nossa fé cristã, que é a missão de ser missionário.

  O católico praticante sabe que o mês de outubro é dedicado pela Igreja Católica à Missão. Assim, durante todo o mês, nas celebrações e diversas outras atividades paroquiais é dada ênfase ao assunto, com palestras e encontros.

  Infelizmente, muita gente acha que a missão é de responsabilidade única e exclusiva do bispo, do sacerdote, da freira, do seminarista em formação e, mais recentemente, da figura do diácono permanente que a igreja no mundo resgatou.

  Na verdade, somos todos chamados à missão de anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo aos povos. Você não precisa sair pregando de cidade em cidade, como os antigos profetas. Mas é dever seu, de verdadeiro cristão, anunciar o Evangelho de Jesus aos irmãos, sobretudo, àqueles que não conhecem a Deus ou que andam perdidos e sem esperança pelo mundo.

  Outro assunto importante desta edição é a visita ad limina que nosso arcebispo irá fazer, agora em outubro, ao Santo Padre. Comumente, ela é feita de cinco em cinco anos. A atual visita de Dom Paulo Peixoto ao Papa Francisco atrasou em razão da pandemia.

  A história não traz relatos concretos de quando foi realizada a primeira visita ad limina. Entretanto, sabe-se que elas se tornaram mais frequentes a partir do século V. Na verdade, a visita é uma maneira do papa conhecer mais sobre a situação da Igreja no mundo. Por outro lado, o bispo ou arcebispo presta contas dos trabalhos em sua diocese. A medida também reforça os laços apostólicos do catolicismo.

  Assim, procuremos cumprir a missão. Através da ação do Espírito Santo de Deus, recebemos dons que nos capacitam a orar, interceder, pedir pela cura da humanidade. Para tanto, é fundamental que mergulhemos em águas mais profundas!

   Um abraço a todos.

Jornalista Rubério Santos

Compartilhe: